Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Tenho andado por aí e tenho visto a decoração de Natal, muito bonita aqui em Lisboa, tenho visto as pessoas mais felizes, aqui e em outros lugares, apesar de tudo. O novo “normal” com o uso geral da máscara, mesmo na rua – voltou a ser usada também na rua por causa da nova variante ômicron – já nem tira o brilho da data. Muitas pessoas já se acostumaram a cuidar e acho que só eu ainda me surpreendo saindo de casa sem máscara, a procurar nos bolsos onde está a reserva. Vai ser um Natal com máscaras, mas e daí? Pode ser um Natal feliz. Depende de nós.

O Menino que nasce mais uma vez neste nosso dezembro de pandemia não precisa usar mascara, mas acho que Ele não se importaria de usá-la, mesmo que nos corações dos homens não haja perigo de contaminação. Então, vamos recebê-lo? Deixemos que Ele nasça, deixemos ele entrar, para que tenhamos um Natal e um novo ano mais feliz, quem sabe com um vírus que não ofereça mais tanto perigo? Sem mortes pela covid, sem pessoas lotando os hospitais... Sem medo, sem perdas, sem dor, mas com muita esperança e com muita fé. Podemos fazer um Natal feliz. Podemos fazer um novo ano mais feliz, não podemos? Então mãos à obra, vamos exercitar nossa capacidade de nos superar, a capacidade do ser humano de se renovar, de se reconstruir, com a ajuda do Menino que está pra nascer, como em todos os dezembros.

Vamos exercitar a nossa capacidade de sermos solidários – e o ser humano é solidário – e nos mobilizar para suavizar a dureza que a pandemia acentuou: existe muita gente passando necessidades, fome mesmo, pessoas nem nada, sem trabalho, sem casa, sem uma refeição por dia. Pelo mundo todo. Mas se não pudermos ajudar o mundo todo, tudo bem, podemos começar ajudando as pessoas que estão perto de nós, no nosso bairro, na nossa cidade. Podemos dividir mesmo o pouco que temos. Podemos fazer um Natal mais Natal para algumas pessoas, mesmo que sejam poucas. E se todos fizermos isso, um pouquinho em cada lugar, o mundo todo pode comemorar o Natal, a chegada  do Menino com mais dignidade.

Vamos pensar nisso? Façamos um Natal feliz. Vamos procurar fazer alguém feliz, que o Natal será mais feliz para todos. Com certeza.

Luiz Carlos Amorim – Escritor, editor e revisor – Cadeira 19 da Academia Sulbrasileira de Letras. Fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA, que completa 41 anos em 2021. Http://luizcarlosamorim.blogspot.com.br – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br -   lcaescritor@hotmail.com

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.