Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Para muitos pagadores de impostos passou despercebida a magistral afronta ao dinheiro público, e aos princípios de moralidade, a exposição de arte “Queer”, financiada pela Lei Rouanet e divulgada pelo banco Santander e pelo movimento LGBT.

No Brasil, só no Brasil, um absurdo deste quilate, é financiado pelo governo.

É incrível a hipocrisia e a maldade na cabeça desta gente, que não avalia os desdobramentos de seus atos. Que vergonha expressar como arte, uma verdadeira libertinagem sexual com forte estímulo à homossexualidade para crianças e jovens em idade escolar. E, ainda por cima, tripudiar e zombar do cristianismo e dos cristãos, na figura incomparável de Jesus Cristo.

Para quem gosta de jogar contra si próprio, o Santander não poderia fazer melhor. Agora, usar dinheiro de impostos do povo brasileiro para financiar uma aberração como a exposição “Queer”, é de uma insensatez sem limites. Uma bofetada na cara daqueles que acreditam em princípios éticos, e procuram viver em retidão. “Queer” é pornografia pura... Pornografia que custou oitocentos mil reais aos combalidos cofres públicos.

É duro de engolir!

João AntonioPagliosa - Curitiba - PR - Engenheiro Agrônomo.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios