Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Compreensível a revolta das pessoas que não podem possuir um carro, celular ou sair de casa que já são roubados e o meliante quando é preso, acaba solto rapidamente.

O pré-candidato a presidente Bolsonaro propõe acabar com a violência usando mais violência,  prendendo indiscriminadamente e por qualquer motivo, ignorando o fato de possuirmos a terceira maior população carcerária do mundo, com cada preso custando R$ 2,4 mil por mês, enquanto um estudante do ensino médio custa R$ 2,2 mil por ano!  Precisamos de representantes dispostos a investir em educação de qualidade para os jovens, pois dificilmente ingressam na criminalidade quando possuem oportunidades e são valorizados pela sociedade. Basta lembrar que nos tempos sombrios da ditadura existia criminalidade igual ou pior que atualmente, apenas não era e nem podia ser divulgado.

Bolsonaro e seus seguidores discursam utilizando o ódio e violência, mas incapazes de argumentar usando fatos e experiências com civilidade e sensatez. Ainda pior é o fato de pessoas boas que amam sua família e não fazem mal a ninguém, estarem sendo contaminadas pelo ódio e o desprezo pelo ser humano.

Brasil já teve sua sombria ditadura civil-militar e até hoje chora suas perdas inocentes, é hora da sociedade exigir respeito aos princípios e garantias individuais e coletivos consagrados na Constituição de 1988 para promoção da paz, o diálogo e a democracia.

Daniel Marques - historiador - Virginópolis MG - danielmarquesvgp@gmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios