Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Na hora do aperto, em lugar de usar a alta matemática, procure usar o bom senso” – Antônio Ermírio de Moraes

Solução é a Tributária

A greve dos caminhoneiros que paralisou o País revelou algo importante para a sociedade: o caótico e perverso sistema tributário brasileiro que mata as empresas e os empregos, impedindo o crescimento do País. Surpreendidos pela força do movimento, o Governo, líderes do Congresso e representantes dos mais diversos segmentos passaram a defender o projeto de Reforma Tributária do Deputado Luiz Carlos Hauly como saída eficaz para corrigir as distorções fiscais do País. Esperamos que agora o projeto possa tramitar e ser definitivamente aprovado pelo Congresso.

Quem pagará a conta?

O brasileiro, cansado de pagar impostos e de ser explorado por um Governo que nada oferece em troca, apoiou em massa a paralisação dos caminhoneiros. Porém, cada concessão feita pelo Governo aos grevistas aumentava o rombo do caixa. Estimativas preliminares dão conta de que, em 13 setores da economia, os prejuízos passaram de R$ 50 bilhões. Não existe almoço grátis. Para atender os caminhoneiros o Governo recorreu ao Tesouro, o qual é mantido por todos os brasileiros que pagam impostos.

Pedido de socorro

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) pede adiamento por um mês no recolhimento de impostos federais, estaduais e municipais e prorrogação da validade de notas fiscais para evitar multas. De acordo com a Firjan e outros cinco entidades de classe, muitas notas fiscais estão vencidas nos caminhões retidos. Além disso, é grande a preocupação das empresas com a possibilidade de não pagamento dos salários em junho. O colapso da produção em virtude da interrupção do fluxo de mercadorias provocou drástica redução de negócios em todos os setores.

Força do campo

A safra de grãos não chegou a ser recorde dessa vez, mas contribuiu positivamente para o desempenho da economia brasileira no início de 2018. No primeiro trimestre, o setor agropecuário cresceu 1,4% em relação aos três meses anteriores, informou nesta semana o IBGE. Em relação ao primeiro trimestre de 2017, as exportações cresceram 6% dando grande apoio ao crescimento da balança comercial.

Saque PIS/Pasep

O prazo para o trabalhador sacar até R$ 954 de abono do PIS/Pasep de 2016 termina em 29 de junho. Cerca de 2 milhões de pessoas ainda não foram buscar o dinheiro, segundo o Ministério do Trabalho. O abono salarial do PIS/Pasep para quem trabalhou em 2016 começou a ser pago em julho do ano passado, e o último lote foi liberado em março. Os recursos ficarão disponíveis para todos até 29 de junho. Quem trabalhou em 2017 começará a receber depois, mas ainda não há um calendário oficial.

Exemplo de Minas

Até o fim de junho, será iniciada a 5ª rodada do programa de aceleração de startups para empreendedores do Brasil e do mundo interessados em desenvolver seus negócios em Minas Gerais. Lançado pelo ex-governador Antonio Anastasia, o projeto de incentivo ao empreendedorismo Seed - Startup Entrepreneurship Ecosystem Development - investiu em seus quatro anos de atuação R$ 22 milhões para acelerar 152 startups, 36 das quais estrangeiras, que criaram 300 postos de trabalho para o Estado e faturaram R$ 25 milhões. Para a rodada deste ano está previsto investimento de R$ 5 milhões.

Luis  Hauly Filho é Economista, Advogado e especialista em Gestão Pública - Londrina - Paraná.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios