Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Há algum tempo e, inclusive nos dias atuais, quando se questiona a idade de uma mulher, normalmente estamos faltando com a educação, comportamento inadequado e, segundo a Glorinha Kalil, consultora de moda e expert em etiqueta é feio perguntar a idade, o salário e se a pessoal fez plástica. De acordo com seu raciocínio é falta de educação querer saber o nascimento do outro ou quanto ganha. Ela menciona ainda que à mesa é um lugar apropriado para a família trocar valores, experiências, e a pessoa aprender a comer. Infelizmente, cada vez se vê menos a família reunida com esse procedimento, além de muitas pessoas se manter conectadas ao celular para trocar mensagens, numa conversa separada. É bom lembrar que em pesquisa realizada recentemente em todo o país, oitenta por cento de entrevistados revelam não se importar mais em revelar a idade.

Mas, tudo está mudando em relação ao coronavirus, porque já se tornou comum, muitas pessoas perguntarem: “Você já tomou a vacina?”. Nessa pergunta, tanto o questionador quanto o que vai responder invariavelmente, já existe uma confissão aproximada da idade, devido aos “privilegiados” por causa da idade entrar na faixa adequada para serem vacinados. Além dessa questão, ainda existem outras que, por certo, desconcertam aos mais “gordinhos” que, não demonstram felicidade com o “corpinho” que têm. E, agora, por ficar mais em casa, sem queimar gordura, o corpo ganha um peso considerável. O bom senso indica que não se deve ficar insistindo se estão felizes ou não, mesmo porque, acreditamos que eles têm espelho em casa e se questionam permanentemente. Quanto aos pets observa-se que a falta do sagrado passeio diário e novos hábitos adquiridos com a maior presença de tutores em casa trouxe uma consequência preocupante em relação à redução da atividade física, segundo levantamento realizado nos Estados Unidos em que os animaizinhos de estimação registraram um ganho de 25% de “gordurinhas”, durante a quarentena.

Um fato importante que deve ser mencionado é que a pandemia do COVID-19 abalou os sistemas de Saúde de todos os países do mundo. Mesmo depois da descoberta da vacina, o planeta continua em alerta, e que aparece outra doença pandêmica. Trata-se dos obesos, com números assustadores com um alto índice de obesidade na maioria dos países, com exceção à China (origem do vírus), aonde a característica dos chineses e comportamento no consumo de alimentos pouco mudou.

Com esse episódio vemos que a batalha das pessoas deverá ser aumentada de modo significativo, pois será necessário reaver o modo de como se alimentar, porque não adianta manter o “corpinho atlético” e desnutrido. A idade é apenas um detalhe.

Edilson Elias é jornalista, historiador do Paraná, presidente do jornal FATOS DO PARANÁ® e membro da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina - edilsonelias@yahoo.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios