Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com recursos de mais de R$ 84 milhões, obra vai garantir abastecimento de Londrina e Cambé por 20 anos
O prefeito de Cambé, João Pavinato, o presidente da Câmara de Vereadores, Elizeu Vidotti, e o deputado estadual Gilberto Martins visitaram, na terça-feira (28), a obra de duplicação do Sistema Tigabi, em Londrina. A duplicação é a maior obra de saneamento em execução no Paraná, com recursos que ultrapassam os R$ 84 milhões. A visita técnica, organizada pelo coordenador da Região Metropolitana de Londrina, Victor Hugo Dantas, foi acompanhada por um grupo de 30 pessoas, entre secretários municipais, vereadores e assessores técnicos do município de Cambé.
Com esta ampliação, o Sistema de Abastecimento Integrado de Londrina e Cambé terá água suficiente para abastecer as populações das duas cidades no horizonte de 20 anos. O prefeito de Cambé destacou a importância da obra e da parceria entre prefeitura e Sanepar. “Temos a certeza de uma água de qualidade, com a confiabilidade da Sanepar. Vemos os investimentos acontecendo para manter o índice de 100% de abastecimento com água tratada e, em breve, estaremos com 90% de coleta e tratamento de esgoto”, disse Pavinato.
O deputado Gilberto Martins lembrou da inauguração da Estação de Tratamento de Água (ETA) Tibagi, em 1991. “Agora, passados mais de 20 anos, temos a comprovação do quanto a decisão de investir no Tibagi foi acertada”. O secretário de Obras de Cambé, Osmarino Manzoni, também acompanhou a entrada em operação do Tibagi e fez parte do grupo que defendeu, naquela época, a viabilidade do projeto. Ele lembrou que a previsão era atender as demandas de 20 anos e elogiou a obra de ampliação que sinaliza tranquilidade para as duas décadas seguintes.
O gerente geral da Sanepar na região Nordeste, Carlos Roberto Pinto, afirmou que é importante que a comunidade, e seus representantes políticos, acompanhem as obras. “A comunidade também deve acompanhar e fiscalizar os trabalhos. É importante essa participação das diversas esferas da sociedade”, afirmou. Ele lembrou que deve ser licitada e iniciada ainda neste ano a obra de ampliação do sistema de reservação de água. Os investimentos ultrapassam os R$ 15 milhões.
“As pessoas não têm ideia de quantos investimentos e procedimentos são necessários para que a água chegue nas torneiras de suas casas”, afirmou Vidotti, presidente da Câmara de Cambé. Ele disse que fará questão de levar à população informações sobre a estrutura que viu na Sanepar. “Pelo tamanho do empreendimento, posso dizer que dificilmente um município teria condições de atender da mesma forma. É preciso que cada pessoa saiba e valorize todo este esforço”, comentou.
Duplicação
A obra de duplicação do Sistema Tibagi foi dividida em várias etapas e contratos. A primeira etapa foi iniciada no final de 2011, com a construção de dois módulos de tratamento, do canal de entrada da água e dos tanques para produtos químicos, onde foram utilizados 3.375 metros cúbicos de concreto e 285 toneladas de aço. A segunda etapa segue com a ampliação de três estações elevatórias e a implantação da nova adutora, com 22 quilômetros de tubulação de ferro, com diâmetro variando entre 700 e 900 milímetros (mm). As obras estão na Avenida Marcílio Dias e na Rua Almirante Barroso, próximo da prefeitura de Londrina.
A capacidade instalada de 1.200 litros de água por segundo (l/s) passará a 2.400 l/s. Já em 2014, a Estação de Tratamento de Água irá tratar 1.800 l/s, mantendo o atendimento de 100% da população urbana das duas cidades. A expectativa é que duas novas bombas sejam instaladas para a produção de 2.400 l/s, em 2018. Até agora, as obras geraram mais de 5 mil empregos, entre diretos e indiretos.
Mais obras
Entre as obras em execução e os investimentos previstos, o município de Cambé deve ser beneficiado com recursos de mais de R$ 102 milhões neste ano. Além da duplicação do Sistema Tibagi, R$ 6,250 milhões estão sendo investidos na reforma das instalações elétricas e automação do Sistema Integrado Cafezal. O serviço de coleta e tratamento de esgoto também está sendo beneficiado com a execução de um coletor tronco que permitirá a desativação da elevatória Castelo Branco, já que o esgoto de parte da cidade já está sendo tratado pela Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Esperança, colocada em operação no início de 2013, na região Sul de Londrina.
Asimp/Sanepar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios