Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Prefeitura de Cambé enviou ofício ao Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar) e ao secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, cobrando a volta imediata das realizações de cirurgias eletivas que não sejam de alta complexidade, ou seja, sem risco de necessidade de utilização de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

A Secretaria de Saúde de Cambé vem recebendo relatos de pacientes que estão na fila por uma cirurgia de que seus quadros estão se agravando em virtude do adiamento. Baseado no artigo 4º da resolução SESA nº 441, a suspensão não se aplica às cirurgias sem risco de utilização de UTI. Desta forma, a administração cambeense entende que não há motivos para que os procedimentos cirúrgicos não sejam retomados.

“Tenho ouvido relatos de pessoas que estão sofrendo com o agravamento de seus problemas e precisam fazer uma cirurgia urgentemente que são de partir o coração. Não vejo motivos para adiar mais a retomada e, por isso, quero um posicionamento urgente do Cismepar e das pessoas responsáveis por tomar esta decisão de retomar as cirurgias. O povo já está sofrendo demais com toda essa situação de pandemia, com os problemas de saúde de cada um e não é hora de nós levarmos mais sofrimento a essas pessoas. Por isso, quem tem o poder de decisão precisa se posicionar e não pode se esconder”, endureceu o prefeito Conrado Scheller, que tem falado frequentemente com a direção do Cismepar.

NCPMC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.