Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Prefeitura de Cambé encaminhou ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) uma denúncia de que uma profissional de saúde, moradora de Londrina, teria recebido uma terceira dose de vacina contra Covid-19 em Cambé. Ela teria sido vacinada duas vezes em Londrina com Coronavac (Butantan) e, posteriormente, utilizou um comprovante de residência do pai para receber uma dose de Pfizer em Cambé. A Prefeitura juntou documentos que indicam a fraude e encaminhou ao MP ontem (16).

Nos últimos dias, a Secretaria de Saúde de Cambé tem identificado vários casos de pessoas de outras cidades da região tentando se vacinar com comprovantes de endereço falsos ou de parentes, já que Cambé já está imunizando pessoas na faixa dos 38 anos.

“Muita gente não gostou quando passamos a exigir o comprovante de residência no nome da pessoa a ser vacinada, mas a iniciativa era justamente para evitar esse tipo de fraude. Muita gente quer dar uma de esperto e vir vacinar em Cambé por estarmos mais adiantados. Não vamos tolerar isso. Todos os casos suspeitos serão encaminhados ao MP para as devidas providências legais.

A Secretaria de Saúde reforça que para se vacinar, é preciso estar dentro de algum grupo prioritário ou na faixa etária do respectivo chamamento. É obrigatória a apresentação de um documento com foto, CPF ou cartão SUS e um comprovante de residência no nome da pessoa a ser vacinada.

NCPMC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios