Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Prefeitura de Cambé continua auxiliando as famílias que foram atingidas pelas chuvas de domingo (07) e segunda-feira (08). Na noite de terça-feira (09), as Secretarias de Assistência Social e de Obras realocaram uma família do Ana Rosa – região que mais sofreu com os alagamentos – para o Centro Comunitário da região.

Segundo Manoel Cícero dos Santos, secretário de Obras, o município entrou com o pedido de interdição e desapropriação da casa dessa família. “Não há mais condições de habitação no imóvel”, explica.

Segundo a secretária de Assistência Social, Lucilene Diório, os seis integrantes da família vão permanecer no Centro Comunitário por mais cinco dias e depois vão para uma casa alugada na mesma região. A Prefeitura iniciará um processo de desapropriação do imóvel. “Tivemos uma reunião e foi decidido que a prefeitura vai custear as despesas com o aluguel dessa família – o chamado aluguel social – até que o processo de indenização do imóvel seja feito”, ressalta Diório.

Segundo a secretária, a Prefeitura de Cambé vai pagar o recurso financeiro correspondente à avaliação do imóvel no mercado imobiliário. “É provável que a família permaneça nessa casa alugada por cerca de três ou quatro meses, que é o prazo para que o processo seja realizado”, explica Diório. Ela ainda esclarece que a Assistência Social está recolhendo doações que vão ser entregues à família e a outras que também precisam.

Para o prefeito Conrado Scheller, a prioridade é fazer este processo de forma rápida para devolver a normalidade à vida dessas pessoas. “Não vou chegar aqui e dizer que vamos fazer uma determinada obra e isso resolverá a situação porque não é verdade. Ali é um problema de mais de 20 anos e que não tem outra solução que não seja a desapropriação dessa casa. Vamos fazer de tudo para que rapidamente essa família consiga ter um novo lar em condições bem diferentes da que tem hoje, com toda a dignidade possível”, ressaltou o prefeito.

Estragos nas ruas

A respeito dos outros pontos da cidade que foram afetados pela chuva, o secretário de Obras, Manoel Cícero dos Santos, esclarece que as equipes estão trabalhando desde domingo na ponte da Rua Rio Pirapó – entre o Jardim Santo Amaro e o Jardim São Paulo. “Nós estamos fazendo a contenção do local com pedras. Isso vai garantir mais segurança aos moradores e vai evitar tremores na ponte”, ressalta.

O secretário explica que a ponte está parcialmente interditada. “Ela ainda está em condições de uso, mas estamos a monitorando diariamente”, pontua.

O secretário faz a ressalva de que a ponte vai permanecer com a estrutura antiga até que as obras de ampliação comecem. “Nós vamos fazer um alargamento do leito da ponte, além do redirecionamento da tubulação para que ela aguente uma maior vazão da água, evitando transtornos futuros”, explica. Segundo dos Santos, o tráfego será redirecionado para a Rua Rio Paraná, cerca de dois quarteirões de distância da Rua Rio Pirapó.

O secretário de Obras ainda cita que outras regiões da cidade também sofreram com as águas, como o Jardim Ana Eliza, o Jardim Alvorada e o São Francisco, além de algumas áreas centrais da cidade. “A maior parte das reclamações são de problemas no asfalto das vias, o que já estamos providenciando os reparos”, conclui.

NCPMC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios