Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Evento define diretrizes e escolhe os representantes da sociedade civil que irão compor o CMDI para o biênio 2016-2018

“Qualidade de Vida da Pessoa Idosa de Londrina: responsabilidade da família, da sociedade e do Estado” é o tema da 8ª Conferência Municipal dos Direitos do Idoso, realizada nesta quinta-feira (15). O evento, promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI) e pela Secretaria Municipal do Idoso, levou centenas de participantes ao auditório da Igreja Nova Aliança, na região central.

O objetivo do encontro é debater propostas e fixar diretrizes que irão nortear as ações do CMDI para o biênio 2016-2018, e eleger os representantes da sociedade civil que vão compor o Conselho neste período.

Na abertura, a secretária municipal do Idoso, Maria Inez Mazzer Barroso, declarou que a Conferência representa um momento importante, uma vez que as decisões do Conselho, e a parceria com o Município, são determinantes para o rumo dos direitos dos idosos para os próximos anos. “O Conselho é um órgão fiscalizador, tem suas ações e trabalha de forma integrada com a nossa secretaria. Existem as votações e a gestão dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos do Idoso (FMDI), que é destinado especificamente a proporcionar mais qualidade de vida a este público”, ressaltou. 

O presidente da atual gestão do CMDI, Manoel Rodrigues do Amaral, disse que a meta do Conselho é trazer os idosos para os debates, ouvi-los e conhecer suas necessidades para que as demandas possam ser reivindicadas ao poder público. “É importante lembrar que o Conselho e a Secretaria do Idoso sempre trabalharam em parceria, buscando o melhor para atender os direitos dos idosos. Ter uma política pública específica para pessoas idosos é um exemplo para o Brasil. Precisamos de um Conselho forte e atuante para que os direitos dos idosos sejam respeitados”, salientou.

O evento contou com a palestra “Qualidade de Vida da Pessoa Idosa de Londrina: responsabilidade da família, da sociedade e do Estado”, com Simone Fiebrantz P. Paraná, que é nutricionista, professora e presidente do Departamento de Gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Seção Paraná.

De acordo com o CMDI, em Londrina, atualmente 12% da população é formada por pessoas com mais de 60 anos de idade, totalizando quase 70 mil idosos. A quantidade de pessoas idosas na cidade supera a população total estimada de 374 dos 399 municípios do Paraná.

Investimentos - Nos últimos anos, o município de Londrina teve conquistas importantes para os idosos. De 2012 a 2015, o Município recebeu, via fundo municipal, R$ 2.774.175,00 em doações de empresas. O dinheiro foi utilizado para viabilizar reformas   e promover melhorias nas Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) de Londrina.

Deste montante, R$1 milhão foi doado pela Ambev, em 2014. O dinheiro doado está sendo aplicado na construção do primeiro Centro de Convivência da Pessoa Idosa (CCI) da região norte. O empreendimento será uma referência para a região, que é a segunda da cidade com maior número de idosos, tendo 16 mil pessoas com 60 anos ou mais.

O CCI Norte está em fase de licitação e a previsão é de que as obras sejam iniciadas ainda no final deste ano. O Centro será construído próximo à Saul Elkind, principal avenida da região norte. O espaço terá cerca de 640 metros quadrados de área e contará com dois auditórios, biblioteca, salão de eventos, salas de oficinas, de atendimento e de espera, cozinha, lavanderia, banheiros, pátio de serviço.

Também estiveram presentes na Conferência o promotor de Defesa dos Direitos do Idoso, Miguel Jorge Sogaiar, representando o Ministério Público do Paraná em Londrina; a secretária municipal de Assistência Social, Telcia Lamônica de Oliveira, e representantes de conselhos e entidades locais.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios