Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Governo do Paraná tem investido cada vez mais na qualidade da alimentação escolar servida a um milhão de estudantes matriculados na rede estadual de ensino. Entre 2011 e 2015, por meio do Programa Estadual de Alimentação Escolar, foram destinados mais de R$ 450 milhões na compra de gêneros alimentícios. Desse total, cerca de R$ 150 milhões se referem à aquisição de alimentos e produtos da agricultura familiar.

Com o programa, o governo do Estado passou a investir na aquisição de produtos diretamente da agricultura familiar, fomentando a atividade desses pequenos e produtores e melhorando a qualidade da alimentação servida aos estudantes.

Semanalmente, as escolas estaduais recebem produtos frescos que incluem frutas, hortaliças e pinhão, legumes, tubérculos, temperos, leite, lácteos (queijos, iogurte, bebidas lácteas, entre outros), panificados, carnes, sucos, complementos (geleias e doces), feijões e cereais.

A secretária de Estado da Educação, Ana Seres, destaca que o volume de produtos da agricultura familiar na merenda escolar vem crescendo ano a ano, passando de 41% para 50% nos últimos dois anos. “O processo de aprendizagem é facilitado quando os estudantes estão bem alimentados, recebendo refeições nutritivas”, disse a secretária.

A nutricionista da Secretaria de Estado da Educação, Márcia Stolarski, diz que a variedade de produtos facilita o trabalho dos profissionais que preparam a merenda e torna as refeições mais nutritivas.

A lista de alimentos entregues às escolas contempla mais de 140 itens divididos em três grupos – produtos não perecíveis, entregues de quatro a cinco vezes por ano; alimentos congelados (carnes e peixes), entregues a cada 15 dias; alimentos da agricultura familiar, que são encaminhados semanalmente às unidades escolares.

REFERÊNCIA - O programa de alimentação escolar paranaense também conta com avaliação nutricional dos alunos, kits de servimento (pratos, talheres, canecas em aço inox) para alunos, capacitações de merendeiros, material de apoio destinado às unidades escolares, modernização na logística de distribuição, acompanhamento do consumo da escola em tempo real, entre outros. Esse programa tornou-se uma referência para o Brasil, e até mesmo para o Exterior. A Secretaria da Educação recebe, periodicamente, visitas de representantes de outros estados e de prefeituras com interesse em adotar o sistema paranaense.

Recentemente uma comitiva canadense veio conhecer o trabalho na área de alimentação escolar, em especial, o incentivo à agricultura familiar. A indicação foi do Fundo Nacional de Desenvolvimento Educacional (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação. Outra medida adotada pela Secretaria da Educação para melhorar a logística foi a entrega ponto a ponto da merenda escolar, que funciona desde o final de 2013.

COTA EXTRA – Como os contratos com a agricultura familiar (de dois anos de duração) encerraram-se este ano e algumas unidades (como as escolas de tempo integral, agrícolas e florestal) consomem mais alimentos que as escolas convencionais, a Secretaria da Educação liberou cota extra de recursos a essas unidades, para evitar a falta de produtos e dificuldades na composição de cardápios, enquanto está sendo feita nova licitação.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios