Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um empresário denunciado pelo Ministério Público do Paraná em Centenário do Sul, no Norte-Central do estado, por meio da Promotoria de Justiça da comarca, foi condenado por crime contra as relações de consumo. Conforme a denúncia, o posto de combustíveis da família do réu, gerenciado por ele, vendeu produtos irregularmente.

Fiscalização realizada no estabelecimento em 2014 constatou que o combustível vendido não era proveniente da fornecedora exclusiva, conforme a “bandeira” do posto, o que resultou, na ocasião, na prisão em flagrante do empresário e de seu pai (posteriormente excluído do processo por haver falecido). Com isso, os réus “induziram a erro o consumidor, através de indicação enganosa sobre a natureza e qualidade do combustível fornecido”, alegou o MPPR na denúncia.

A pena foi de três anos de detenção, substituída por prestação de serviços à comunidade e interdição temporária de direitos, conforme determina a legislação. Em decorrência da sentença – da qual cabe recurso –, o réu deverá, durante o período de cumprimento da pena, recolher-se em sua residência às 14 horas aos sábados e durante todo o dia aos domingos e feriados, bem como às 22h em todos os dias, não poderá ausentar-se da comarca por mais de oito dias sem prévia autorização e precisará apresentar-se em juízo bimestralmente, além de apresentar comprovante de que está desempenhando trabalho lícito.

Asimp/MPPR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.