Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A cidade terá quatro mil novos postos de trabalho; diversos projetos de infraestrutura vão modernizar o município e beneficiar as empresas

O ano de 2020 tinha tudo para ser um dos melhores da história de Rolândia. A Prefeitura fechou com superávit financeiro de mais de R$ 8 milhões depois de muito tempo, fruto da austeridade da gestão e tinha grandes metas para a temporada. E isso sem aumentar impostos. A Prefeitura tinha em caixa mais de R$ 13 milhões no final de 2019.

O bom momento administrativo se confirmou no primeiro trimestre, com um incremento de arrecadação de pouco mais de cinco milhões de reais. Mas aí veio a pandemia e o cenário mudou. Arrecadação caiu, alguns planos foram mudados, contudo, na parte empresarial, o município tem um horizonte próspero.

Com modernas leis e apoio do poder público, Rolândia caminha rumo ao progresso com segurança e otimismo, gerando emprego e renda para milhares de famílias. Em junho, a Agência do Trabalhador/Sine foi a quinta unidade do estado que mais intermediou mão de obra. E para o futuro próximo, com empresários que acreditam e investem na cidade, o município vibra com a ampliação da atuação de empresas e a chegada de outras. Também devido a credibilidade e a confiança que os empresários tem na Administração Municipal.

Assim, Rolândia terá o aumento na oferta de vagas de trabalho em quase quatro mil postos até 2021 e mais de cem milhões de reais em investimentos. Esses dados serão demonstrados ao longo dos dias, com o detalhamento dos investimentos das empresas que vão ampliar a produção e daquelas que vão se instalar.

Segundo o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ernesto Nogueira, o resultado é fruto do trabalho da Prefeitura, que procura facilitar a vida dos empresários, que geram emprego e renda. “A Administração está empenhada em promover a infraestrutura necessária para a valorização e a expansão das empresas já existentes e construindo as condições para a atração de novos investimentos”, informa.

Além de prover infraestrutura, que impulsiona as empresas e indústrias para que produzam e contratem mais, Ernesto Nogueira explica que a assessoria do Poder Público em agilizar a burocracia é um diferencial competitivo que Rolândia hoje tem para angariar novos investimentos. Para isso, a cidade tem diversos projetos estruturantes que vão melhorar o deslocamento e a mobilidade urbana.

“Temos diversos projetos que vão beneficiar as empresas atuais e as futuras, como a contrução da rotatória nas proximidades da JBS e Eurofral, para melhorar a vida das unidades instaladas no Contorno Sul. O projeto já está no DER. Além disso, estamos em elaboração do projeto de extensão da Avenida dos Expedicionários até o Contorno Sul, unificando os acessos da cidade”, detalha.

O trabalho para a viabilização é conjunto entre as Secretarias de Desenvolvimento Econômico e a de Planejamento. E o trabalho não se resume a parte técnica. Ernesto Nogueira reconhece que “vamos precisar de força política junto ao Governo do Estado para atender as demandas e desenvolver Rolândia”.

Outros projetos estruturantes para o desenvolvimento que Rolândia já tem em elaboração:

- Interligação viária eixo Centro- Jardim Perazolo

- Interligação viária eixo Centro-San Fernando

- Interligação viária eixo PR-170 – com o prolongamento da Avenida Júlio Braz Damasceno – Avenida Augusto Vieira Zagabria

- Prolongamento da Avenida Erich Koch Weser – trecho entre a Rua Martin Friedrich Mewes e a Avenida Presidente Getúlio Vargas (BR-369)

- Prolongamento viário eixo Centro-Contorno Sul (PR-986) através do prolongamento da Avenida dos Expedicionários.

NCPMR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios