Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) apresentou na quarta-feira, 26, projeto de lei que reconhece o Instituto Plural, de Cornélio Procópio, como entidade de Utilidade Pública Estadual. O deputado justifica que a instituição desenvolve ações em diversas áreas, desde a assistência social, à saúde e esporte.

“O Instituto Plural começou em Cornélio Procópio e, pela importância do trabalho que realiza, espalhou-se pelo Paraná, chegando a São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. É uma instituição que ajuda no desenvolvimento social, educacional e esportivo e contribui para a melhoria da saúde do paranaense. Por isso, merece o reconhecimento da Assembleia Legislativa do Paraná”, justifica o deputado.

O Instituto Plural é uma instituição beneficente fundada em Cornélio Procópio, mas que hoje tem duas filiais registradas no Paraná, em Londrina e Pato Branco e outras três instaladas em Chapecó (SC), Santa Cruz do Sul (RS) e São José do rio Preto (SP).

“O Instituto Plural ser declarado instituição de utilidade pública estadual, é sinônimo de esperança e sinal de que algumas portas se abrirão para recebermos emendas parlamentares de deputados estaduais. Um reconhecimento como este facilita a tomada de decisão, além de incluir nossa entidade no Programa Nota Paraná”, avalia o presidente Joni Silva Correia.

Eixos

Os eixos de atuação do Instituto Plural são na promoção da saúde, assistência social e segurança alimentar e nutricional, priorizada à população infanto-juvenil e melhor idade, componentes de uma camada da população em situação de vulnerabilidade social; promoção do nível de conhecimento da população sobre os benefícios da atividade física para a saúde, bem como do nível desta atividade física.

Atua também na promoção à conscientização sobre o TEA (Transtorno do Espectro Autista) e especial atendimento à família de pessoas assim diagnosticadas; promoção de ações que visem educar, conscientizar, estimular o amor e o respeito aos animais e da defesa, preservação e conservação do meio ambiente, com atenção especial às questões hídricas; promoção de um convívio equilibrado entre o poder público, a sociedade e os animais, visando a qualidade das saúdes pública e ambiental, urbana e rural; promoção das igualdades social, racial, étnica voltadas aos afrodescendentes, às comunidades tradicionais, aos índios e demais minorias também vítimas de preconceitos, sejam brasileiras ou não.

Valdir Amaral/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios