Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) apresentou na quarta-feira, 26, projeto de lei que reconhece o Instituto Plural, de Cornélio Procópio, como entidade de Utilidade Pública Estadual. O deputado justifica que a instituição desenvolve ações em diversas áreas, desde a assistência social, à saúde e esporte.

“O Instituto Plural começou em Cornélio Procópio e, pela importância do trabalho que realiza, espalhou-se pelo Paraná, chegando a São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. É uma instituição que ajuda no desenvolvimento social, educacional e esportivo e contribui para a melhoria da saúde do paranaense. Por isso, merece o reconhecimento da Assembleia Legislativa do Paraná”, justifica o deputado.

O Instituto Plural é uma instituição beneficente fundada em Cornélio Procópio, mas que hoje tem duas filiais registradas no Paraná, em Londrina e Pato Branco e outras três instaladas em Chapecó (SC), Santa Cruz do Sul (RS) e São José do rio Preto (SP).

“O Instituto Plural ser declarado instituição de utilidade pública estadual, é sinônimo de esperança e sinal de que algumas portas se abrirão para recebermos emendas parlamentares de deputados estaduais. Um reconhecimento como este facilita a tomada de decisão, além de incluir nossa entidade no Programa Nota Paraná”, avalia o presidente Joni Silva Correia.

Eixos

Os eixos de atuação do Instituto Plural são na promoção da saúde, assistência social e segurança alimentar e nutricional, priorizada à população infanto-juvenil e melhor idade, componentes de uma camada da população em situação de vulnerabilidade social; promoção do nível de conhecimento da população sobre os benefícios da atividade física para a saúde, bem como do nível desta atividade física.

Atua também na promoção à conscientização sobre o TEA (Transtorno do Espectro Autista) e especial atendimento à família de pessoas assim diagnosticadas; promoção de ações que visem educar, conscientizar, estimular o amor e o respeito aos animais e da defesa, preservação e conservação do meio ambiente, com atenção especial às questões hídricas; promoção de um convívio equilibrado entre o poder público, a sociedade e os animais, visando a qualidade das saúdes pública e ambiental, urbana e rural; promoção das igualdades social, racial, étnica voltadas aos afrodescendentes, às comunidades tradicionais, aos índios e demais minorias também vítimas de preconceitos, sejam brasileiras ou não.

Valdir Amaral/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.