Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A de Pato Branco será a primeira estação regional inaugurada. Na sequência, os eventos ocorrem em Medianeira, Campo Mourão, Cornélio Procópio e Ponta Grossa. Objetivo é fomentar a cadeia produtiva de micro e minigeração a partir de energias renováveis.

A Copel e Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR inauguram a partir de segunda-feira (09) as unidades regionais da rede de Estações de Pesquisa em Energia Solar. O cronograma de inaugurações tem início em Pato Branco e segue em Medianeira, na terça, em Campo Mourão (quarta) e Cornélio Procópio (quinta) e, na próxima semana, em Ponta Grossa (16/03).

A rede é formada por estações solarimétricas e módulos de avaliação instalados nos câmpus da UTFPR em Curitiba e nas demais cidades. A unidade da Capital foi inaugurada em dezembro do ano passado, na planta da UTFPR na Cidade Industrial de Curitiba.

Orçado em aproximadamente R$ 6 milhões, o projeto foi selecionado em chamada pública da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e promete transformar o Estado em uma referência nesta área, com um arranjo inédito para levantar informações sobre a energia solar e o potencial fotovoltaico no território paranaense.

“A iniciativa visa fomentar a cadeia produtiva de micro e minigeração a partir de energias renováveis, de forma a incrementar sua inserção na matriz energética paranaense e brasileira”, explica o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero.

Estações

As unidades de pesquisa abrigam estações solarimétricas que medem com grande precisão a radiação solar, além de módulos de avaliação de diferentes tecnologias de painéis fotovoltaicos. As estações instaladas nos câmpus da UTFPR somam-se à rede avançada de estações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) – a chamada rede Sonda – e a outras redes climatológicas existentes no Estado, como as do Simepar e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo o pesquisador Gerson Máximo Tiepolo, do Laboratório de Energia Solar da universidade, em seu conjunto, estas redes permitirão analisar a variação da radiação solar ao longo do ano nas diferentes regiões do Estado. “Este mapeamento indicará quais as tecnologias de módulos fotovoltaicos são mais adequadas e vantajosas para cada região, de acordo com seu microclima”, disse.

Junto às estações solarimétricas foram instalados módulos de avaliação com sistemas fotovoltaicos de quatro diferentes tecnologias que avaliarão o desempenho destas tecnologias nos diversos microclimas do Paraná, em uma configuração inédita no País, permitindo comparar o comportamento dos painéis solares e a eficiência da geração solar sob diferentes condições climáticas, avaliando fatores como velocidade do vento, temperatura ambiente e radiação solar, entre outras.

“O conhecimento mais aprofundado sobre o comportamento e distribuição espacial da radiação solar no Paraná, do desempenho de diferentes tecnologias de geração fotovoltaica e de seu comportamento quando inserido na rede elétrica permitirá encaminhar políticas públicas bastante efetivas para a expansão da geração distribuída a partir desta fonte renovável”, explica Tiepolo.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios