Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A de Pato Branco será a primeira estação regional inaugurada. Na sequência, os eventos ocorrem em Medianeira, Campo Mourão, Cornélio Procópio e Ponta Grossa. Objetivo é fomentar a cadeia produtiva de micro e minigeração a partir de energias renováveis.

A Copel e Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR inauguram a partir de segunda-feira (09) as unidades regionais da rede de Estações de Pesquisa em Energia Solar. O cronograma de inaugurações tem início em Pato Branco e segue em Medianeira, na terça, em Campo Mourão (quarta) e Cornélio Procópio (quinta) e, na próxima semana, em Ponta Grossa (16/03).

A rede é formada por estações solarimétricas e módulos de avaliação instalados nos câmpus da UTFPR em Curitiba e nas demais cidades. A unidade da Capital foi inaugurada em dezembro do ano passado, na planta da UTFPR na Cidade Industrial de Curitiba.

Orçado em aproximadamente R$ 6 milhões, o projeto foi selecionado em chamada pública da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e promete transformar o Estado em uma referência nesta área, com um arranjo inédito para levantar informações sobre a energia solar e o potencial fotovoltaico no território paranaense.

“A iniciativa visa fomentar a cadeia produtiva de micro e minigeração a partir de energias renováveis, de forma a incrementar sua inserção na matriz energética paranaense e brasileira”, explica o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero.

Estações

As unidades de pesquisa abrigam estações solarimétricas que medem com grande precisão a radiação solar, além de módulos de avaliação de diferentes tecnologias de painéis fotovoltaicos. As estações instaladas nos câmpus da UTFPR somam-se à rede avançada de estações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) – a chamada rede Sonda – e a outras redes climatológicas existentes no Estado, como as do Simepar e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo o pesquisador Gerson Máximo Tiepolo, do Laboratório de Energia Solar da universidade, em seu conjunto, estas redes permitirão analisar a variação da radiação solar ao longo do ano nas diferentes regiões do Estado. “Este mapeamento indicará quais as tecnologias de módulos fotovoltaicos são mais adequadas e vantajosas para cada região, de acordo com seu microclima”, disse.

Junto às estações solarimétricas foram instalados módulos de avaliação com sistemas fotovoltaicos de quatro diferentes tecnologias que avaliarão o desempenho destas tecnologias nos diversos microclimas do Paraná, em uma configuração inédita no País, permitindo comparar o comportamento dos painéis solares e a eficiência da geração solar sob diferentes condições climáticas, avaliando fatores como velocidade do vento, temperatura ambiente e radiação solar, entre outras.

“O conhecimento mais aprofundado sobre o comportamento e distribuição espacial da radiação solar no Paraná, do desempenho de diferentes tecnologias de geração fotovoltaica e de seu comportamento quando inserido na rede elétrica permitirá encaminhar políticas públicas bastante efetivas para a expansão da geração distribuída a partir desta fonte renovável”, explica Tiepolo.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.