Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cidade faz parte do programa Voe Paraná, criado pelo Governo do Estado para ampliar a malha aeroviária. Voo direto deverá levar mais compradores à cidade e facilitar a vida dos empresários que viajam para negociar em outros centros.

O polo moveleiro de Arapongas, principal do Paraná e um dos mais importantes do País, deverá alavancar ainda mais negócios com a nova linha aérea ligando o município a Curitiba e facilitando o acesso a grandes centros nacionais. A linha começou a operar ontem (23) e faz parte do programa Voe Paraná, criado pelo Governo do Estado para ampliar a malha aeroviária.

Para o prefeito Sérgio Onofre, que junto com outras autoridades acompanhou o início das operações, o novo programa traz inovação para as cidades do interior. “Acreditamos nesse programa, que vem ao encontro das necessidades de muitos passageiros, em especial, de empresários. Nossa cidade, grande polo moveleiro, merecia essa inovação no transporte”, disse. “Temos feiras e exposições do setor e a linha aérea facilita para empresários e visitantes que vêm ao município para participar dos eventos”, diz ele.

O programa Voe Paraná foi estruturado para incentivar a aviação regional no Estado. A Gol, em parceria com a empresa de táxi-aéreo TwoFlex, oferecem ligação aérea partindo e chegando a doze municípios que têm entre 32 mil e 155 mil habitantes.

O prefeito lembra que Arapongas, com 122 mil habitantes, tem hoje uma economia diversificada, com forte na indústria alimentícia. É também um centro de grande produção de ovos. A melhoria na logística deverá ampliar os negócios.

O diretor executivo do Sindicato da Indústria Moveleira de Arapongas (Sima), Sílvio Luiz Pinetti, diz que a iniciativa era aguardada pelos empresários do setor há tempos. “A linha aérea operando diretamente em Arapongas atrairá mais compradores e também facilitará a vida de empresários locais que viajam para fechar negócios em outros centros. É grande o número de viagens voltadas a negócios”, disse Pinetti.

Ele lembra que, sem uma linha aérea local, os empresários têm de se deslocar até Londrina, transitar pela rodovia, pagar pedágios e estacionamento no aeroporto. “Com voo local há ganho de tempo e economia de dinheiro”, afirma.

Comércio e Turismo

Para a presidente da Associação Comercial e Empresarial de Arapongas (Acia), Evelyse Segura, a implantação de linha aérea comercial impacta não só na indústria, comércio e serviços, mas também no turismo. “A iniciativa fomentará nossa rede hoteleira e gastronômica”, afirma Evelyse.

Ela explica que o lojista que chega à cidade para visitar as feiras de móveis e fazer negócios precisa muitas vezes ficar em Londrina, onde está o aeroporto regular mais próximo, o que dá mais comidade à partida e chegada. “Mas agora isso pode mudar. Com voos chegando e saindo de Arapongas, o visitante se sentirá muito mais confortável se hospedando aqui. Ganha assim a rede hoteleira, o setor de bares e restaurantes, a economia local”, afirma ela.

A empresária diz ainda que a linha aérea otimiza o tempo para quem precisa se deslocar para outros centros. “Para voar a Curitiba precisamos ir de carro até o aeroporto de Londrina, trajeto que não se faz com menos de 40 minutos ou uma hora, dependendo do trânsito, na ida e volta. Com a linha aérea se ganha no mínimo duas horas por viagem”, observa.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios