Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Obra de implantação do sistema custou R$ 5,7 milhões e beneficiará 1.200 famílias

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) já liberou a primeira etapa da obra de implantação do sistema de esgoto de Tamarana. Neste mês, 700 imóveis poderão ser interligados à rede e, até o final do ano, serão mais 500. Foram investidos R$ 5,757 milhões na construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e na implantação de 27,5 quilômetros de tubulação.

“Esta é uma importante obra e mostra como a Sanepar tem cumprido o seu compromisso com a universalização do saneamento. Estamos investindo em muitos municípios paranaenses e sentimos muito orgulho de poder melhorar a qualidade de vida e a saúde dos habitantes de Tamarana”, afirma o gerente geral da Sanepar na Região Nordeste, Sérgio Bahls.

Proprietário de uma lanchonete na região central de Tamarana, Antônio Roberto da Silva está satisfeito com a disponibilização do serviço e considera o saneamento essencial para a organização e o desenvolvimento de uma cidade. O seu imóvel já está preparado para ser interligado à rede da Sanepar. “Rede de esgoto é bom. Uns reclamam que vão ter que desembolsar um pouco, mas para melhorar tem que ter valor. Melhora a saúde, valoriza o imóvel, melhora tudo”, diz o morador.

Antônio Rubens Taramello está contente com a possibilidade de eliminar as fossas. Ele é proprietário de seis imóveis, incluindo a funerária da cidade, todos eles vão ser beneficiados pela rede de esgoto. “Vai melhorar bastante com a eliminação das fossas, que trazem alguns problemas como a proliferação de insetos e roedores”.

A utilização da fossa também é um problema para a dona de casa Tania Hirakawa Souza. Ela diz que gasta R$ 360 cada vez que precisa contratar o serviço de esvaziamento de fossas. “Tá muito difícil lidar com fossa. Aqui no Cristo Rei dá poucos metros de fundura. A fossa enche fácil”. Ela é proprietária de outros dois imóveis no bairro.

A CORRETA LIGAÇÃO – Nos próximos dias, equipes técnicas da Sanepar deverão realizar vistorias para orientar os moradores sobre como deve ser feita a correta ligação do imóvel na rede coletora de esgoto. Agentes de campo estão percorrendo a cidade para a venda das ligações, cujo valor pode ser parcelado em até 36 meses. Famílias cadastradas no Programa Tarifa Social pagarão apenas R$ 24,59 para ter acesso à rede.

“É uma questão social importante, por isso quem tem baixa renda e está nos programas do governo também tem subsídio na hora de se ligar na rede”, destaca Bahls. “A cada R$ 1 real investido em saneamento, R$ 4 deixam de ser aplicados em remédios e atendimentos médicos. Facilitamos o acesso ao serviço, mas precisamos que a população use de forma adequada”, completa o gerente.

Para interligar o imóvel na rede da Sanepar e poder aterrar a fossa, o proprietário deve ficar atento para não ligar água de chuva na rede coletora de esgoto, instalar caixas de passagens cada vez que a tubulação muda de sentido e caixa de gordura na saída da cozinha.

A OBRA – A implantação do sistema de esgoto sanitário em Tamarana é um dos maiores investimentos recebidos desde a emancipação do município. A obra, iniciada em abril de 2015, gerou cerca de mil empregos. Nesta primeira etapa, estão sendo contemplados imóveis da região central da cidade, o Jardim Cristo Rei e parte do Jardim São Roque. Até novembro, a Sanepar deve concluir o último trecho do interceptor, que levará o esgoto coletado de parte do São Roque e do Jardim Juny até a ETE. O terreno rochoso dificultou a implantação dos últimos 2 km da tubulação. A previsão é remover 400 metros cúbicos de pedra neste trecho.

Com/Sanepar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios