Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Neste oito de março, Dia Internacional da Mulher, a Prefeitura de Tamarana tem um fato importante a destacar: dos 11 cargos do secretariado municipal, sete são ocupados por mulheres – ou 63,6% deles. As pastas chefiadas por elas são as de Assistência Social (Mariza Assumpção Jorge), Educação (Maisa Nakata), Fazenda (Bruna Silva Miranda), Governo (Fábia Siena), Saúde (Dalva Siena), Controladoria (Cristina Seidler) e Procuradoria-Geral (Laura Salgado).

A realidade local vai na contramão do contexto nacional. Conforme pesquisa de 2018 do Projeto Mulheres Inspiradoras (PMI), o Brasil estava à época na 161ª posição entre 186 países ao ser avaliado em quesitos como a representatividade feminina em chefias de governo e a proporção de cargos em ministérios ocupados por lideranças femininas.
“O fato de o prefeito ter escolhido uma grande quantidade de mulheres para atuarem em um cargo de chefia – e não só em secretarias, mas também em diretorias – dá visibilidade para a própria mulher de Tamarana, já que grande parte dessas profissionais é daqui da cidade”, observou a controladora municipal, Cristina Seidler.
Servidora do quadro próprio do município, a controladora ingressou na prefeitura em 2004, aos 21 anos, como auxiliar de serviços gerais. Após ser aprovada em novo concurso, Cristina Seidler passou a atuar na função de agente administrativa a partir de 2007. Trabalhou em setores como a recepção, protocolo e na Diretoria de Recursos Humanos. Em janeiro de 2017, foi escolhida para comandar a Controladoria.
“Entrei aqui sem saber praticamente nada, apenas com o ensino médio. Vim de uma família humilde e fui me aperfeiçoando ao longo do tempo. Para assumir a Controladoria, foi um desafio até para mim”, contou ela, que, em seu currículo, acumula atualmente uma graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e outra em Administração Pública pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), além de duas especializações ligadas ao seu campo profissional (uma delas em andamento).
Também oriunda do quadro próprio de servidores, a secretária de Educação, Maisa Nakata, está há ainda mais tempo no município. Em 2002, depois de passar em concurso, ela começou a lecionar na Escola Municipal Professora Iracema Torres Rochedo e, posteriormente, deu aulas no Centro Municipal de Educação Infantil Criança Esperança. Formada em Pedagogia, a secretária tem especializações em Psicopedagogia e em Educação do Campo.
Para o prefeito de Tamarana, Beto Siena, a condição de as mulheres serem maioria no secretariado também está aliada ao fato de as titulares terem notório grau de conhecimento nas áreas nas quais prestam serviço aos cidadãos. “A ala feminina do secretariado tem mais tato e sensibilidade para lidar com diferentes assuntos, mas sem abrir mão da firmeza na hora de tomar decisões”, acrescentou o gestor.
“Ainda é importante ressaltar o papel da primeira-dama, Adriana Soares, que, apesar de não estar na administração, dá conselhos e orientações que me ajudam a trabalhar com tranquilidade”, concluiu Beto.

Lucas Marcondes Araújo/Ascom

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios