Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Iniciativa vai otimizar o espaço para armazenar documentos, agilidade na busca por informações e garantir mais segurança para o descarte de arquivos

A Prefeitura de Londrina iniciou nesta semana os trabalhos de consultoria para Gestão do Arquivo Público. A iniciativa tem por objetivo proporcionar, com segurança, o descarte de documentos produzidos pelo Município. Nos dias 28 e 29 de novembro foi realizada uma apresentação do que será desenvolvido a cinquenta representantes de secretarias municipais, autarquias e órgãos da administração direta e indireta.

A modernização do arquivo público é conduzida pela empresa Insite Cursos e Serviços Administrativos Ltda Me, contratada através do processo licitatório nº 139/2016, e faz parte da Ação 1 do Programa de Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos (PMAT). O contrato tem duração de 18 meses. Nesse período, a empresa deverá realizar capacitação dos servidores, elaboração e entrega dos instrumentos arquivísticos: Plano de Classificação, Tabela de Temporalidade de Documentos e Manuais de Gestão Documental.

As atividades são coordenadas pela diretora de Gestão de Informações e Arquivo Público da Secretaria Municipal de Gestão Pública, Fabiana Borelli. “A modernização do arquivo público envolve todos os órgãos e secretarias, com exceção da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), Companhia de Habitação de Londrina (Cohab) e Sercomtel. Agora, está sendo feito o diagnóstico da situação documental da Prefeitura. Em uma próxima etapa, começa o trabalho de sensibilização, voltado aos representantes de cada setor”, explicou.

Dentre os benefícios, Fabiana cita a agilidade na busca por informações oficiais. “Também vamos otimizar o espaço para armazenamento, que hoje está muito precário em todas as unidades do Município. Outra conquista será a definição dos documentos históricos, estipulando o que precisa ser preservado”, ressaltou.

O secretário de Gestão Pública, Rogério Carlos Dias, enfatizou que além da execução desta ação com empresa terceirizada para a gestão documental, foi autorizada a utilização das edificações do antigo Clube da Costela, na Avenida Castelo Branco, como nova sede do Arquivo Público Municipal. “Agora foi determinada como sede própria, pois antes os documentos dependiam de estrutura predial alugada”, ressaltou.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios