Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Prefeitura de Tamarana, por meio da Secretaria municipal de Saúde, irá bancar a castração de 90 cães fêmeas de pequeno, médio e grande porte e também de 30 gatas. O trabalho é inédito na cidade.

Voltado para animais em situação de abandono ou semiabandono, o serviço será executado por clínica veterinária a ser contratada através do pregão presencial 019/2019, marcado para amanhã (2), às 9h, no prédio da prefeitura (Rua Izaltino José Silvestre, 643, Centro). O edital completo do certame pode ser conferido nesta página (www.tamarana.pr.gov.br/licitacoes). O município reservou R$ 23.700,00 para a iniciativa. A verba vem do caixa próprio e de transferências federais.

"A castração é a forma de controle populacional mais eficaz para diminuir o número de animais de rua, que são suscetíveis a contraírem doenças graves e de fácil proliferação, como a raiva e a leptospirose, que, aliás, são transmissíveis aos seres humanos", afirmou a secretária municipal de Saúde, Dalva Siena.

A realização das castrações vem de encontro com a reivindicação de um coletivo de voluntários da cidade que, desde que começou suas atividades, no início de 2017, já resgatou mais de 100 cães e gatos vítimas de maus tratos ou abandono. "São cerca de 30 pessoas de várias áreas da sociedade civil que abraçaram a causa animal para ajudar da melhor maneira que podem", contou um dos idealizadores do grupo, o vereador Hector Siena Gobetti.

"Deve ser feito um processo de conscientização sobre a adoção responsável, mas a situação de Tamarana é de tanta emergência que as castrações têm que acontecer antes", acrescentou o parlamentar. Ele pretende apresentar um projeto de lei para punir quem pratica maus tratos contra animais.

"Através do empenho do vereador Hector Siena Gobetti e, com o auxílio dado pela emenda providenciada pelo deputado federal Fernando Francischini, conseguimos fazer uma ação emergencial para atender uma população específica", destacou a titular da Saúde local, que também disse concordar com a necessidade de serem ampliadas as ações em prol dos cães e gatos que vagam pelas ruas de Tamarana.

"O município deve implementar demais políticas públicas em defesa dos animais. Entre elas, um programa de conscientização da população e leis específicas para acabar com a impunidade. A superpopulação de cães e gatos se tornou um caso de saúde pública. Os gestores não podem mais se omitir", avaliou Dalva Siena.

Lucas Marcondes Araújo/NCPMT

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios