Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Outras Cidades 02/06/2017  09h09

Município trabalha instalação de laboratório de prototipagem

Laboratório/fábrica de prototipagem em três dimensões deve ser instalado no Tecnocentro de Londrina

Na manhã de ontem(1º), o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, recebeu em seu gabinete, o relações institucionais da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Roberto Sampaio Pedreira, e representantes de entidades vinculadas à área industrial para debaterem a instalação de um LABFAB, um laboratório/fábrica de prototipagem em três dimensões, no Tecnocentro do município de Londrina.

O laboratório de prototipagem da ABDI será o primeiro a ser instalado na região sul do Brasil. Atualmente, há instalações como essa em Brasília, Sorriso (MG), Cacoal (RO), Recife (PE) e São Paulo (SP). O local será especializado na produção de protótipos de produtos e equipamentos para a área da saúde e de Tecnologia da Informação (TI).

O presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Nado Ribeirete, explicou que sempre que o industrial vai desenvolver uma nova peça, ele precisa fazer todo o projeto, seu molde, testá-lo para então fabricá-lo. “No FABLAB será possível fazer o protótipo em três dimensões, o que custa caro. Mas, esse laboratório vai proporcionar testes e aprimoramento dos produtos da área da Tecnologia da Informação e da saúde, ambos setores em que Londrina é muito forte e que podemos ampliar”, destacou.

O prefeito explicou ainda que o encontro de hoje advém de outras oportunidades em que uma equipe de representantes de sua gestão, políticos e empresários fizeram à Agência, em Brasília. “A vinda da ABDI a Londrina é de fundamental importância, porque ela concede embasamento para todas as empresas e indústrias desenvolverem seus produtos e ampliarem seus negócios, dando as condições necessárias para que Londrina cresça, gere renda e desenvolvimento em vários setores”, afirmou Marcelo.

O relações institucionais da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Roberto Sampaio Pedreira, ressaltou que o foco de trabalho da agência é a agregação de valor na indústria brasileira. “Trabalhamos em prol da melhoria da produtividade, do aumento da qualidade de inovação das empresas e do aumento da competitividade. É com esse propósito que viemos a Londrina para contribuir com o processo de desenvolvimento que já está em curso no município e na região. Trouxemos algumas soluções e estratégias voltadas ao setor da saúde, do agronegócio, redes inteligentes e cidades inteligentes e um dos braços desse trabalho é a instalação do laboratório chamado de FABLAB, que é uma fábrica/laboratório de protótipos.”

Pedreira esclareceu que a fábrica não produz, mas serve como espaço de prototipagem de desenvolvimento de produtos de testes para serem colocados no mercado. Ele explicou ainda que através de eventos e debates como hackathon, por exemplo, surgem produtos que são considerados soluções tecnológicas para as demandas de hospitais e médicos. Esses produtos viram um negócio, um produto comercializável, podendo vir a deixar de ser uma solução específica para um caso concreto, passando a ser um produto de mercado comercializado no país e no mundo.

Para isso, o FABLAB servirá como um espaço de treino e aprimoramento desses novos  produtos, para que eles possam ser colocados no mercado. Para o presidente do Grupo Saúde Londrina União Setorial (Grupo SALUS), João Claudio Santilli, Londrina poderá se fortalecer ainda mais na área da saúde, tornando-se referência nacional em ações pioneiras como essa.

Santilli explicou que a vinda do laboratório a Londrina é providencial, porque já existe um projeto, do grupo e do Sebrae, de cadeia de saúde. “Estamos integrando os prestadores de serviço e as indústrias que produzem produtos para a saúde. Eles estão desevolvendo, sob nossa demanda, alguns produtos para serem utilizados por nós nessa área. Um laboratorio dessa natureza pode perfeitamente ser útil na hora da prototipagem dos produtos e da validação dos mesmos, para depois entrar em produção industrial. Não teria hora melhor para a gente da área da saúde encaixar um laboratório dessa natureza nesse cenário”, ressaltou.

O gerente do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Henry Carlo Cabral, lembrou também que a interação entre o Município, com a cessão do espaço para a instalação do LABFAB no Tecnocentro, com a agência e com o Senai enriquece o conhecimento e o desenvolvimento da área industrial. “O Senai Londrina hoje é referência estadual para tratar do tema indústria e temos uns laboratórios em que é possível fazer algumas simulações, mas com a parceria com a ABDI abre-se uma possibilidade para se ampliar a iniciativa tanto para o Senai, quanto para as empresas e startups fazerem novos testes, novas aplicações e novas soluções para a indústria.”

Cabral destacou ainda que Londrina sendo a primeira cidade da região Sul a ter o laboratório mostra que a cidade chama atenção dado seu ecossistema está sendo conhecido em nível de Brasil, o que agrega uma possibilidade de atrair novas empresas de base tecnológica e novas indústrias e, com isso fazer rodar a máquina municipal com empresas de tecnologias. “Todo mundo ganha”, salientou.

ABDI - A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial está vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), mas é uma entidade autônoma inserida no Sistema S. Ela atua como elo entre o setor público e privado, por meio de ações que ampliem a competitividade da indústria. Os trâmites burocráticos referentes aos valores e dimensões do que deve ser instalado, assim como a quantidade de profissionais necessários ainda está sendo debatido.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios