Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Sistema Regional de Inovação (SRI) Procopense reúne sete municípios, lideranças, academia e entidades empresariais

O Sistema Regional de Inovação (SRI) Procopense, ação conduzida pelo Sebrae/PR, consiste em articular a interação entre uma rede de atores para promover um ambiente favorável à inovação com foco no desenvolvimento regional. O projeto, iniciado neste mês de junho, apresenta-se como um espaço para que os agentes territoriais conheçam melhor as atividades realizadas entre si de forma a estimular a cooperação para fortalecer o ecossistema de inovação.

Inicialmente, o SRI Procopense reúne os municípios de Cornélio Procópio, Santa Mariana, Assaí, Uraí, Sertaneja, Leópolis e São Sebastiao da Amoreira, além de lideranças, representantes de colégios, universidades e entidades empresariais. O consultor do Sebrae/PR, José Romeu do Amaral Neto, explica que o objetivo do trabalho é integrar e criar sinergia entre os ativos de inovação presentes na região. “Estamos trazendo para a pauta temas de vanguarda, comprometidos com ações que promovam sustentabilidade, ciclos regenerativos e inovação aberta”, adianta.

Na lista de ativos da região estão a Incubadora de Inovações e o Hotel Tecnológico da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Campus Cornélio Procópio; o Centro de Inovação em desenvolvimento na Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp) Campus Cornélio Procópio; a Incubadora Suntech, numa parceria entre o Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Professora Maria Lydia Cescato Bomtempo e Prefeitura de Assaí; Colégio Técnico Castro Alves; Colégio Técnico Agrícola de Santa Mariana; e Centro de Inovação da Prefeitura de Cornélio Procópio, que está em fase de implantação.

O diretor de Relações Empresariais e Comunitárias e do Parque Científico e Tecnológico da UTFPR Campus Cornélio Procópio, Felipe Haddad Manfio, afirma que o SRI contribuirá para a expansão das ações e a interação entre os atores do ecossistema de inovação. “Vai trazer mais visibilidade e dar tranquilidade para as empresas de fora escolherem a nossa região para desenvolver os seus negócios”, afirma. Ele aponta que, desde o início do programa de empreendedorismo e inovação na universidade, em 2003, as empresas atraídas para a região por meio do hotel tecnológico e incubadora geram em torno de 12 milhões de faturamento anual e mais de 165 empregos.

 “Especialmente na pandemia ficou mais latente a importância das novas tecnologias oriundas das inovações”, lembra o diretor de relações institucionais da Uenp Campus Cornélio Procópio, Paulo Rogério Alves Brene. Para ele, a iniciativa é importante para apoiar os municípios menores, que precisam de diferencial para se destacar. “O SRI vem ao encontro da política que o campus da Uenp tem desenvolvido no sentido de interagir mais com a sociedade, na participação da qualificação profissional e também na criação de inovações”, explica.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia de Cornélio Procópio, Celso Marin, destaca que não dá para trabalhar a inovação isoladamente, é importante que os municípios da região se envolvam. “Quando o trabalho é feito por várias mãos a tendência é dar certo. A região tem muitos ativos e a possibilidade de interligar as ações com outras regionais, como Londrina e Jacarezinho”, analisa. De acordo com Marin, o Parque Científico e Tecnológico e o Centro de Inovação de Cornélio Procópio vão ajudar na atração de empresas de base tecnológica.

Entre os temas da pauta do SRI relacionados às inovações verdes estão a agricultura regenerativa, redução de resíduos, economia circular, mobilidade urbana, eficiência energética, práticas ESG (ambientais, sociais e de governança), entre outras. Durante a pandemia, os encontros são realizados de forma online.

Asimp/Sebrae/PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios