Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A 14ª Promotoria de Justiça de Maringá, no Norte do estado, emitiu ontem, 27 de março, portaria que estabelece providências em relação à fiscalização das carreatas pelo fim do período de isolamento, previstas para ocorrer neste fim de semana (28 e 29 de março), no município. A emissão da portaria considera representação encaminhada ao Ministério Público, requerendo, entre outras medidas, que a Promotoria de Justiça “expeça mandato proibitório de realização de aglomerações e carreatas de qualquer natureza no próximo domingo [...]”.

Pela portaria, a Promotoria de Justiça instaura procedimento administrativo para “apurar o contido na notitia criminis formulada por advogados, na qual tencionam a expedição de recomendação administrativa tendente a exortar o Município de Maringá a não determinar medidas contrárias ao isolamento e expedir mandado proibitório de qualquer espécie de carreata ou reunião”.

De antemão, o MP destaca no documento que as providências solicitadas, no sentido de coibir qualquer espécie de carreata ou reunião, extravasam a atribuição da Promotoria de Justiça, limitando direitos consagrados constitucionalmente. “Ressalva-se, porém, que as mencionadas reuniões ou carreatas devem observar os atos normativos já editados pelas autoridades municipais e estaduais, visando à contenção da Covid-19”. Acrescenta-se ainda na portaria que, “embora não seja vedado o direito à manifestação, seu exercício não pode colocar em risco a saúde e a vida da população, desatendendo ao disposto nos decretos vigentes”.

Nesse sentido, o MPPR, por meio da portaria, informa que está oficiando o Comando da Polícia Militar em Maringá, solicitando que, se necessário, sejam adotadas providências para garantir que eventuais carreatas agendadas para os dias 28 e 29 de março não afrontem as diretrizes já definidas pelas autoridades públicas e sanitárias para a prevenção e enfrentamento à Covid-19, quer no ato de concentração, quer durante seu prosseguimento pelas ruas de Maringá. Oficiou também a Procuradoria-Geral do Município, solicitando que, caso a prefeitura julgue oportuno, servidores lotados no Departamento de Vigilância Sanitária e de Epidemiologia, com o apoio da Guarda Municipal e da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, compareçam aos locais definidos para as carretas agendadas pelas redes sociais, a fim de orientar as pessoas a seguirem as recomendações sanitárias em vigor e para que, em caso de descumprimento, adotem as providências devidas no âmbito administrativo.

Ascom/MPPR

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.