Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

 O prefeito de Londrina Marcelo Belinati recebeu, em seu gabinete, integrantes da Gerência Executiva de Governo da Caixa Econômica Federal em Londrina (Gigov-LD). O encontro, que contou com a presença de secretários municipais, teve como tema os contratos do Programa Pró-Transporte.

Fernando Toledo, acompanhado do gerente Messias Anacleto Rosa Junior, e do representante da Superintendência da CEF, Olair Ricardo, apresentou ao prefeito Marcelo informações atualizadas referentes ao programa, que em Londrina conta com um investimento total de R$ 172,02 milhões. Parte deste valor é financiado pela Prefeitura junto à CEF, e o restante entra como contrapartida do Município.

Os contratos englobam as obras na Avenida Aminthas de Barros e via estrutural da Zona Sul; o sistema de Transporte Urbano Superbus modelo BHLS (Bus with High Level of Service) e obras no Arco Leste. Até o momento estão em andamento as obras do sistema Superbus e do Arco Leste.

Para o prefeito, o programa representa uma parceria da Caixa com a Prefeitura, que viabiliza importantes obras viárias e estruturais para a cidade. “O que a gente espera é reforçar esse trabalho conjunto da CEF, que é uma das instituições mais sérias do Brasil, com a Prefeitura, para garantir que nós possamos dar condições para a cidade se desenvolver e crescer”, afirmou.

Marcelo destacou ainda que, a partir desta apresentação, a intenção é buscar em outras esferas governamentais, os recursos necessários para dar seguimento e iniciar as obras. “A reunião foi muito produtiva porque nos pontuou exatamente o que está faltando para que possamos, efetivamente, tirar as coisas do papel e transformá-las em realidade. O objetivo é dar continuidade, não só a esse, mas a tantos outros projetos importantes”, ressaltou.

Segundo o secretário municipal de Fazenda e Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Edson de Souza, ao final da reunião, ficou definido que a Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia (SMPOT) elabore um documento e aponte quais são as contrapartidas que a Prefeitura tem que aportar, para que dê prosseguimento aos projetos. “Vamos fazer esse levantamento, enquanto na Secretaria Municipal de Fazenda vamos viabilizar fontes de recursos para dar andamento a esses projetos. Nós não podemos garantir que todos eles terão andamento integral, até pela própria função dos custos, que nós sabemos que cada projeto tem. Mas com certeza vamos fazer o possível para possibilitar, se não todos, a execução da maioria deles”, explicou.

Também participaram da apresentação os secretários municipais de Gestão Pública e Recursos Humanos, Margareth Socorro de Oliveira; de Governo, Marcelo Canhada; Obras e Agricultura, Fernando Tunouti; o assessor para Projetos Estratégicos, Luiz Figueira de Mello; o vereador Amauri Cardoso; além de diretores e servidores das secretarias municipais.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios