Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

O Prefeito Ailton Maistro, o Vice-prefeito Márcio Vinícius, o Secretário de Planejamento Zeca Salgueiro, o Secretário de Infraestrutura José Carlos Polvani e o Diretor da Secretaria de Infraestrutura Milton Alves, acompanharam a liberação para uso da da "Trincheira da linha férrea", na área central de Rolândia.

A autorização para o trânsito veio com a entrega da obra na quinta-feira, dia 18 de março, pela empresa licitada Legnet para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Em virtude da pandemia e para evitar aglomerações, não teve solenidade de inauguração. A benfeitoria faz a ligação da rua Miguel Liogi e da avenida Castro Alves à avenida Ayrton Rodrigues Alves, cruzando a avenida Presidente Getúlio Vargas em piso inferior (trincheira), com a ferrovia passando por cima.

As obras contaram com o apoio do então Deputado Federal Alex Canziani e do Deputado Federal Luiz Nishimori.

Essa é a segunda grande intervenção na parte de ferrovias na cidade. A primeira foi o pátio de manobras, inaugurado em agosto de 2018.

As obras em Rolândia fazem parte do Programa Nacional de Segurança Ferroviária (Prosefer), planejamento desenvolvido pela Diretoria de Infraestrutura Ferroviária do DNIT com o objetivo de minimizar os conflitos decorrentes das operações ferroviárias com as operações rodoviárias, em passagens de nível, e as interferências com o tráfego urbano, em cidades atravessadas pelas ferrovias.

O Prosefer identificou que o pátio de manobras dividia a cidade ao meio, muitas vezes provocando isolamento de unidades de serviços emergenciais. Eram frequentes as interrupções do tráfego urbano nas passagens de nível existentes na região central da cidade, resultado da circulação diária de três composições de trens, com 87 vagões em média.

Por isso, as duas importantes obras foram realizadas com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana no município.

O investimento total do DNIT em Rolândia corresponde a mais de dezoito milhões de reais (R$ 18.749.971,00). As intervenções eliminam pontos de conflitos e gargalos de escoamento da produção, principalmente daqueles que interferem no trânsito urbano, pois, além do tráfego local, a cidade é um entroncamento das malhas rodoviárias de conexão entre as regiões Sul e Centro-Oeste brasileiras e da região oeste do estado de São Paulo.

NCPMR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios