Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em solenidade realizada na última sexta-feira (21), no gabinete da Prefeitura de Londrina, o prefeito Marcelo Belinati e o secretário de Estado da Cultura do Paraná, João Luiz Fiani, receberam o documento de constituição do Arranjo Produtivo Local (APL) Audiovisual de Londrina e Região.

O APL teve sua constituição viabilizada pela Secretaria Municipal de Cultura, que auxiliou na construção do projeto. A finalidade é possibilitar o estímulo à diversificação da produção audiovisual e o fortalecimento da produção independente e das produções regionais, visando o incremento de sua oferta e a melhoria permanente do padrão de qualidade. Mais de 15 órgãos e instituições locais participaram de sua elaboração, além de grande parte das produtoras de audiovisual existentes hoje em Londrina e região. Segundo o Sebrae, atualmente são quase 80 produtoras atuando em nossa região nesta área.

O prefeito Marcelo disse que Londrina é uma cidade que conta com uma diversidade cultural muito rica e destacou que a área de audiovisual possui um vasto potencial de crescimento, contando com profissionais talentosos e capacitados que desenvolvem trabalhos de excelência na região. “Tenho um enorme respeito e carinho por todos os representantes e produtores do segmento cultural. Percebo que o setor audiovisual vem sendo um dos grandes catalisadores de desenvolvimento da cultura em todo o Brasil, portanto é um orgulho receber a consolidação desse APL por um grupo de entidades e produtoras locais que está se articulando para trazer recursos e tirar do papel tantos bons projetos que ajudarão a transformar a cidade em uma referência nacional no setor”, destacou.

João Luiz Fiani congratulou o prefeito de Londrina e todos os membros do APL Audiovisual de Londrina e Região. Ele ressaltou que, por meio de um trabalho integrado, envolvendo a união da política no setor público, empresários, rede produtiva e entes culturais, será possível fortalecer o segmento e propiciar melhores resultados na proposição de projetos e captação de recursos. “Sempre tive uma relação muito legal com Londrina e fico feliz em ver a cidade conseguindo aglutinar tantas pessoas para consolidar este arranjo produtivo, com um grupo sólido que, com certeza, irá contribuir para alavancar os trabalhos da área audiovisual no município. No Paraná, o trabalho de municipalização já vem sendo realizado nos últimos anos. Atualmente, 50% dos recursos da Secretaria Estadual de Cultura estão indo para o interior do estado. Pretendemos aumentar essa quantia para 60%, ou mais, até o último ano do atual mandato”, disse Fiani, que assumiu a pasta da Cultura no ano de 2015.

Já o secretário municipal de Cultura, Caio Julio Cesaro, enfatizou que a constituição do APL Audiovisual é um marco da organização de um setor que já possui sua história na cidade. Além disso, mostra que as produtoras do segmento estão pensando de forma ampliada e em conjunto, focando nas principais necessidades e buscando ordenadamente, com mais força política, alternativas para que Londrina e região sejam beneficiadas com recursos municipais, estaduais e federais.

“O documento que entregamos hoje para o prefeito e o secretário estadual de Cultura é de extrema importância, pois demonstra que o setor audiovisual está pronto para crescer e se desenvolver junto com a cidade. Teremos grandes desafios pela frente, mas é importante lembrar que trata-se de um setor de alta empregabilidade e que movimenta, no campo das artes, uma série de manifestações culturais. Para a produção de um filme, por exemplo, precisamos de elementos de música, vídeo, artes visuais, cenografia, texto, entre outros”, frisou.

Cesaro destacou que hoje, no Brasil, existe um conjunto de mecanismos no fomento ao setor do audiovisual, e que Londrina, através das ações integradas do APL, poderá obter novos recursos para se desenvolver e conquistar seu lugar de merecimento neste mercado.

“A política pública do audiovisual feita pelo Ministério da Cultura e pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) tem como um dos principais pontos o trabalho de descentralização e regionalização dos recursos. No caso do Paraná, compactuo com a visão do secretário João Luiz Fiani e defendo a ideia de que é preciso pensar o estado como um todo e não apenas a capital. É óbvio que Curitiba tem muita história e grande importância, mas é preciso que o aporte financeiro também chegue ao interior. Por seu potencial na cultura, Londrina merece ser olhada com mais atenção”, completou.

Mobilização - A produtora cultural Natasha Manttovani, uma das idealizadoras do APL Audiovisual de Londrina e Região, foi a responsável por entregar a cópia da ata de constituição do grupo. “Queremos, com APL de Londrina e Região, juntar entidades que tenham poder político, nos setores público e privado, para se organizar e ajudar a desenvolver o setor do audiovisual, que é um dos que mais crescem no mundo todo, gerando empregos e investimentos. Essa mobilização permitirá que Londrina consiga atrair mais recursos e ser projetada com mais força no mercado nacional e internacional”, destacou.

Natasha disse que a consolidação do APL frente ao poder público representa o passo mais assertivo para o desenvolvimento do audiovisual de Londrina. “O Brasil já conta com outras APLs que funcionam como alavancadoras de desenvolvimento na área audiovisual. As produtoras locais já estão se organizando há algum tempo, mas precisamos também ter ao nosso lado órgãos que tenham força e poder de articulação política”, afirmou.

Para o presidente do Núcleo do Audiovisual de Londrina (NAV), Luciano Pascoal, a indústria do audiovisual tem um forte poder de alcance e se comunica com empresas, governos e entidades das mais diferentes áreas, alimentando uma vasta cadeia produtiva. “Londrina é um polo cultural pujante e, por isso, precisa trabalhar para fomentar este segmento. Com projetos realizados aqui, será possível movimentar a economia local e, quando mais investimentos houver e mais pessoas conhecerem o poder do audiovisual, a cidade terá mais visibilidade para buscar os recursos e viabilizar projetos”, comentou.

Também participaram da cerimônia, nesta sexta-feira (21), o deputado federal Alex Canziani, o vereador Péricles Deliberador, o prefeito de Cornélio Procópio, Amin Hannouche, representantes da Secretaria Municipal de Cultura e outras pastas, produtores culturais e membros das entidades que integram o APL Audiovisual de Londrina e Região, servidores públicos, entre outros.

Quem participa – Fizeram parte da elaboração do APL Audiovisual de Londrina e Região: o Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), SERCOMTEL, Câmara de Vereadores, Prefeitura Municipal de Cornélio Procópio, FIEP, SEBRAE, APL TI, APP Londrina, AVEC,  CINTEC, Convention Bureau, deputado federal Alex Canziani, Eduletrando Studio, Faculdade Pitágoras, gestora cultural Leila Manttovanni, Kinopus, PEIEX, Secretaria de Turismo de Cornélio Procópio, SIAPAR, Stanux Consultoria, Union Filmes, Vertigo Filmes e representantes do Núcleo do Audiovisual de Londrina (NAV).

Audiovisual - O setor audiovisual no Brasil tem participação de 0,57% no PIB brasileiro. É o que revela o Mapeamento e Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil, encomendado pela Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (APRO) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e realizada pela Fundação Dom Cabral. Isso representa aproximadamente R$ 20 bilhões que, anualmente, são gerados pela produção de conteúdos vinculados à cultura, gerando 110 mil empregos diretos.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios