Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um trabalho desenvolvido pela Pedagoga Andrea Ferreira Neves, da Escola Municipal Maria do Carmo Campos, no Conjunto Domingos Neves, em parceria com o Centro de Convivência do Idoso (CCI), da Secretaria de Assistência Social, que fica ao lado da unidade escolar, foi classificadopara a final em um projeto nacional do Ministério da Educação no tocante a Educação Alimentar e Nutricional (EAN). O resultado final será divulgado na segunda quinzena de janeiro.

O objetivo da jornada é incentivar o debate e a prática das ações de EAN no ambiente escolar e dar visibilidade àquelas já desenvolvidas nas escolas públicas de educação infantil, tendo como tema norteador a promoção da alimentação saudável e a prevenção da obesidade infantil no ambiente escolar.

O Ministério da Educação vai encaminhar um Certificado de Menção Honrosa nominal ao nutricionista, ao diretor da escola e ao coordenador da jornada, em cada Escola finalista.

De acordo co Andrea Ferreira Neves, “o projeto constituiu-se de seis etapas, onde o objetivo principal sempre teve como foco incentivar a criança a ter hábitos saudáveis. Cada etapa tinha um tema relacionado a práticas de boa alimentação”.

Participaram da ação a Professora ichele Cristina Zidoi, a Diretora Sandra Alves da Silva, Rosane Benazi da Secretaria de Educação, a Coordenadora do CCI Marlei de Oliveira, a Agrônoma Angélica Rosenthal, a Nutricionista Horaci Jaqueline Silva Souza Ribeiro e “seo” Laércio, que ajudou no cultivo dos alimentos. Andrea conta que “durante todo o ano estivemos desenvolvendo essas etapas. Fomos diversas vezes na horta do CCI, onde a agrônoma Angélica, gentilmente nos recebia e dava informações importantes as crianças, como também o Laércio, que sempre esteve a disposição nos momentos em que lá estivemos. As crianças vivenciaram o plantio, regaram e colheram as verduras. Preparamos receitas na Escola incentivando as crianças a comerem frutas e vegetais. Teve até receita com alimentos regionais, como bolo de pinhão. Envolvemos todos os eixos da educação infantil nesse trabalho”. Além do trabalho de campo, atividades com música, recorte e colagem, modelagem, confecção de fantoches, jogos e brincadeiras também foram desenvolvidas.

Ainda, a Pedagoga coordenadora do projeto rolandense destaca que as crianças fizeram visitas para ampliar o conhecimento. “Uma das etapas também envolveu o produtor rural e fizemos a visita a dois sítios onde as crianças puderam ver as plantações, ouvir as produtoras e ainda tomar um lanche super natural preparado para eles. O projeto também mobilizou as outras turmas da escola, pois as crianças também estavam engajadas em trabalhar com o desperdício do lanche na escola”.

De maio a novembro foram concluídas as seis etapas previstas no concurso, que exigiam em trabalhar as atividades em sala, montar um texto explicativo sobre como foi o trabalho e se os objetivos foram atingidos. Andrea agradeceu o apoio e o envolvimento de todos, que, segundo ela, sem isso, não seria possível chegar até aqui. “Apesar de estar a frente desse projeto, enquanto pedagoga e incentivadora da ação, sem o apoio da professora Michele não teria conseguido concluir. Também contei com a ajuda da diretora Sandra, das professoras que passaram auxiliando a educação infantil, Alessandra, Eliana, Maria Thereza,Elaine, Andreia, da Rosane, que a todo momento incentivou, das nossas queridas merendeiras e da nutricionista Jaqueline. Fiquei muito feliz pelo trabalho ter sido aprovado nesta primeira instância, pois eram muitos critérios envolvidos. Um projeto do FNDE, a nível nacional, com um saldo positivo é muito gratificante”, celebra. O projeto rolandense foi o único do norte do Paraná que chegou a fase final.

NC/PMR

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios