Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O trabalho realizado pelo Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindepar) começa a ganhar novas fronteiras. A direção da associação esteve em Umuarama, na região de Entre Rios, para apresentar e explanar sobre as atividades que estão ganhando a confiança dos municípios paranaenses. Hoje já são quase 170 prefeituras associadas.

O prefeito Celso Pozzobom (PSC) e o deputado federal Osmar Serraglio (PP) receberam, no anfiteatro da Prefeitura, secretários municipais, técnicos, vereadores e prefeitos da região para conhecerem o programa de pavimentação asfáltica oferecido pelo consórcio, que está realizando serviço de micropavimentação em vários bairros de Umuarama. A apresentação foi conduzida pelo presidente da empresa, Antônio Carlos Lopes (prefeito de Astorga) e pelo secretário-executivo Arquimedes “Bega” Ziroldo, que tiveram a participação do deputado federal Alex Canziani (PTB), idealizador do consórcio.

Ao abrir o encontro, Pozzobom relatou que Umuarama precisa recuperar 1 milhão 250 mil metros quadrados de pavimento, e com recape tradicional o custo “é impraticável” – entre R$ 35 e 40,00 o metro quadrado. “Conheci o micropavimento em cidades que utilizam essa técnica e gostei muito dos resultados, principalmente pela relação custo-benefício”, disse. O serviço tem uma durabilidade superior a quatro anos e sai para o município entre R$ 5,50 a R$ 7,90 o metro quadrado.

Segundo Pozzobom, trata-se de uma ótima alternativa para recuperar grande número de ruas e avenidas a um custo relativamente baixo. “O consórcio conta com os equipamentos, o conhecimento técnico e mão de obra especializada. O município entra com os insumos e os serviços de preparação (poda de árvores, lavagem das vias e tapa-buraco com massa quente compactada com rolo)”, explicou.

A agilidade do serviço também foi destacada pelo secretário-executivo. “Após a preparação, a aplicação do micropavimento pode ser feita a uma velocidade de até 5 km por hora”, explicou Bega, agradecendo a oportunidade de mostrar o processo às lideranças regionais. Ele disse que o Cindepar pode atender todos os municípios do Estado, desde os menores aos grandes centros – Londrina, por exemplo, contratou o serviço para mais de 1 milhão de metros quadrados.

Projeto

O consórcio foi criado pelo deputado federal Alex Canziani em 2013 e começou com 11 municípios. “Hoje contamos com mais de 160 associados com obras já realizadas e outros 60 municípios em processo de filiação. Outro detalhe importante é que este consórcio cobra apenas uma taxa de adesão de R$ 400,00 e não existe mensalidade. O município paga apenas pelo serviço contratado. Como não é visado o lucro e as compras de insumos são feitas em grandes quantidades, o consórcio tem um preço competitivo, funciona dentro da legislação, inclusive com o amparo do Tribunal de Contas do Estado, e é a forma de acabar com o problema dos buracos nas cidades”, completou.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios