Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Musa da Acadêmicos do Tatuapé, Renata Spallicci fala sobre rotina pesada de treinos e mostra que está com tudo em cima para os desfiles, sem precisar de truques para manter bumbum e pernas firmes para sambar

Estamos a poucos dias do Carnaval e os ensaios técnicos no Anhembi seguem a todo vapor. Impossível, no entanto, não notar durante o vai-vem das escolas as belas mulheres que vem a frente na avenida, com muita beleza, samba no pé e corpos à mostra.

A musa da Acadêmicos do Tatuapé Renata Spallicci revela que tem treinado bastante e intensificado a malhação para chegar com tudo em cima na avenida e não precisar recorrer a truques para esconder flacidez: “Tenho treinado muito pesado mesmo por causa do samba. Treino para não depender de truques para disfarçar flacidez na avenida. Sambar é cruel para chacoalhar o corpo e deixa muito evidente tudo que estiver flácido. To mantendo o carboidrato alto para dar mais densidade muscular e força adicional para os membros inferiores”. 

Durante o carnaval, muitas musas recorrem a truques para disfarçar flacidez e celulites. Renata usou no último ensaio uma fantasia que deixou em evidência seu corpo, e trouxe bastante transparência. Questionada sobre o “segredo" pra ficar com tudo em cima e se usou alguma meia, Renata revela: “Não usei nada para firmar pernas e bumbum, não foi preciso. Para a transparência usamos uma telinha por baixo, e colocamos esparadrapo no bico do seio e maquiagem para tapar completamente, pois não podem ficar a mostra. Usei spray de glitter para brilhar muito, e só. Realmente os treinos tem valido a pena”. 

No ensaio técnico deste fim de semana, Renata veio como uma Guerreira Marinha, trazendo a força, o encanto e os mistérios marinhos o figurino remete a seres aquáticos com barbatanas cores marcantes e o tritão do Rei Netuno.

 “A escola estava com uma energia absurda. Entramos para mostrar que vamos batalhar como “Bravos Guerreiros”, como diz nosso samba enredo, para ganhar o Tricampeonato. A corte da escola estava super unida e conectada e a bateria com uma garra absurda. Toda a escola e comunidade como uma grande família cantando o samba enredo bravamente”, conclui.

MF Press Global

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.