Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A modelo Rangel Carlos usou as redes sociais para relembrar o carnaval de 2017, quando foi convidada pela escola Colorado do Brás, de São Paulo, para desfilar como Musa. Mas durante a publicação, Rangel detonou a escola e o trauma que adquiriu após o seu primeiro desfile no carnaval.

Segundo a modelo, os problemas com a escola começaram ainda nos ensaios técnicos, quando teria sido destratada por integrantes da agremiação em diferentes situações. Mas, ainda assim, ela não faltou com os ensaios. Na época, morando no Sul do país, Rangel Carlos viajava toda semana para São Paulo pra ensaiar com a escola.

"Quando recebi o convite da Colorado do Brás, em 2017, fiquei super feliz e me senti muito honrada. Sempre assisti os desfiles pela televisão e era um dos meus grandes sonhos estar ali, cruzando o Anhembi com toda aquela gente que trabalha o ano inteiro para fazer uma linda festa. Infelizmente o meu sonho se transformou em pesadelo. Desde a minha chegada aos ensaios, que não era minha obrigação ir, uma vez que sendo convidada e aceitando o convite, ficou acordado que a minha participação na escola seria com a divulgação dela, e eu fiz. Mas eu queria me aproximar mais e conhecer os setores. Fui destratada por integrantes da escola, pessoas que achavam que eu estava ali apenas para aparecer usando o holofote de menos de uma hora de desfile", relembra ela.

Muito abalada com todos os sinais de que teria problemas maiores com a escola, Rangel, que foi eleita Miss Bumbum Santa Catarina naquele mesmo ano, pensou em desistir, mas seguiu em frente na esperança de realizar aquele sonho de menina e, os constrangimentos continuaram, inclusive com programas de TV.

"A minha assessoria de imprensa era procurada por programas de TV, rádio, jornais, queriam fazer matérias comigo nas dependências da escola. Toda pauta que surgia nós entravamos em contato com a escola para agendar, a presidência aprovava e agendava. Mas... Praticamente 95% das matérias não foram feitas por descaso da escola. Chegávamos lá, minha equipe, eu e o veículo e, acreditem: 'os empregados' da escola não deixavam fazer. Diziam que não tinham autorização", conta a Miss Bumbum.

No dia do desfile lá estava ela, pronta para entrar na avenida e sem saber ainda qual seria o seu lugar na escola, o que já havia sido combinado quando o convite foi feito, mas que por algum motivo desconhecido não foi cumprido. A fantasia, que também era uma, na hora do desfile Rangel Carlos recebeu aquela que não era a sua.

"O protótipo da minha fantasia era uma coisa linda, foi até por isso que logo eu aceitei o convite deles, sem nem pensar. Além de realizar um sonho, eu iria desfilar com uma fantasia maravilhosa, mas isso não aconteceu. O que me entregaram foi uma roupa horrorosa, horripilante. Nunca peguei coisa tão feia nas minhas mãos. Não tive nem tempo de questionar, a fantasia chegou pra mim na hora de entrar no Anhembi e eu ainda nem sabia qual seria a minha posição na escola, já que até o meu lugar no desfile foi alterado em cima da hora", lamenta a beldade.

Vivendo um trisal (relacionamento a três), na época, a modelo disse ainda que a ex-esposa teve que desfilar junto por falta de componente em um dos carros da escola, e ela desfilou, mesmo com toda indignação por tudo o que estava acontecendo. Ao final do desfile, uma surpresa: segundo Rangel, a bolsa que carregava com dinheiro e pertences, que havia sido guardada junto com as de outros integrantes pela diretoria da escola, sumiu. Dentro da bolsa estava o equivalente a R$8.000,00 em pertences e dinheiro.

Do jeito que saíram do desfile, seminuas, ela e a esposa foram para a delegacia fazer um boletim de ocorrência contra a escola, que solicitou as imagens de segurança e constatou que a bolsa foi tirada do local por um integrante da escola. O presidente da escola, na época, disse que resolveria o problema, mas nada foi feito, segundo ela.

"Quando eu estava pronta para desfilar, um representante da escola me perguntou se a minha ex-esposa poderia desfilar em um dos carros para que a escola não perdesse pontos já que uma componente da alegoria não compareceu. Estávamos com ódio de toda aquela situação, mas ela topou. Então pegaram as nossas coisas e guardaram em uma sala (trancada), dentro do hotel Holiday Inn, ao lado do Anhembi. No final do desfile, cadê a minha bolsa? Levaram ela e tudo o que estava dentro, que era equivalente ao valor de R$8.000,00. Do jeito que estávamos, quase peladas, fomos para a delegacia e fizemos o boletim de ocorrência, mas nada foi feito. O presidente da escola na época, disse que iria resolver tudo, e nada fez. Que lembrança boa eu tenho do carnaval? nenhuma. Vejo essas mulheres lindas publicando que estão com saudade e eu só consigo sentir revolta, nojo, injustiça e RANÇO do carnaval", desabafou a Miss Bumbum, que nunca mais desfilou por nenhuma outra agremiação e não pretende mais desfilar.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios