Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A turismóloga viajou até o México para praticar a filosofia que exalta a essência e a conexão da mulher consigo e com a natureza

Rainha de bateria da Mocidade, escola de samba do Rio, Giovana Angélica é adepta do Sagrado Feminino. A filosofia traz um resgate da essência feminina e representa um estado de consciência relacionado ao que é ser mulher, independentemente de classe social, cor da pele, tipos de personalidade, crenças ou experiências vividas.

Nessa busca, a turismóloga foi até o Cenote Mil Colunas, localizado em Tulum no México e que representa a figura do Sagrado Feminino, além de uma incrível beleza natural.

Este cenote é especial por ser local de cerimônias diversas, inclusive casamentos Maias, batismos, rituais religiosos da tradição Maia com intuito de elevar o autoconhecimento e purificação. 

"Entender o que é o Sagrado Feminino é importante porque ajuda a nos reconectar com as nossas consciências e a aceitar com mais naturalidade os ciclos pelos quais passamos. Além disso, uma mulher que entende e aplica o conhecimento do Sagrado Feminino no dia a dia tem um ganho considerável de autoestima. Por meio do despertar da consciência, ela se sente bem consigo mesma e entende o poder da feminilidade", explica a empresária.

Thiago Freitas/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios