Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A turismóloga viajou até o México para praticar a filosofia que exalta a essência e a conexão da mulher consigo e com a natureza

Rainha de bateria da Mocidade, escola de samba do Rio, Giovana Angélica é adepta do Sagrado Feminino. A filosofia traz um resgate da essência feminina e representa um estado de consciência relacionado ao que é ser mulher, independentemente de classe social, cor da pele, tipos de personalidade, crenças ou experiências vividas.

Nessa busca, a turismóloga foi até o Cenote Mil Colunas, localizado em Tulum no México e que representa a figura do Sagrado Feminino, além de uma incrível beleza natural.

Este cenote é especial por ser local de cerimônias diversas, inclusive casamentos Maias, batismos, rituais religiosos da tradição Maia com intuito de elevar o autoconhecimento e purificação. 

"Entender o que é o Sagrado Feminino é importante porque ajuda a nos reconectar com as nossas consciências e a aceitar com mais naturalidade os ciclos pelos quais passamos. Além disso, uma mulher que entende e aplica o conhecimento do Sagrado Feminino no dia a dia tem um ganho considerável de autoestima. Por meio do despertar da consciência, ela se sente bem consigo mesma e entende o poder da feminilidade", explica a empresária.

Thiago Freitas/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.