Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Coluna Social 08/10/2014  08h26

Câmara reconhece atuação social de Édina Rocha

Pioneira no apoio aos menores de rua e coordenadora do Programa Sinal Verde de 1986 a 90 vai receber homenagem; iniciativa é da vereadora Elza Correia

A Câmara de Vereadores de Londrina realiza amanhã (9/10), às 18h, na sala de sessões do Legislativo, a solenidade de entrega do Diploma de Reconhecimento Público à assistente social Édina Mariene Rocha, pioneira no trabalho de apoio aos menores de rua e ex-coordenadora, no município, do Programa Sinal Verde. A iniciativa para a entrega da honraria é da vereadora Elza Correia (PMDB) em razão do atuação social de Édina Rocha como voluntária e ocupante de cargos públicos na rede de proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade.

Édina Mariene Rocha nasceu em Ivaiporã (PR), em 31 de maio de 1952. Na infância e juventude enfrentou sérios problemas de saúde, como a paralisia infantil, que deixaram sequelas mas não a impediram de concluir o ensino médio como em Contabilidade. Em 1977, aos 24 anos, ingressou na Congregação das Irmãs da Providência de Sorocaba (SP), desligando-se das atividades eclesiásticas em 1987, um ano após sua chegada a Londrina. Ainda em 1987 participou da criação da comissão local do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, atividade que coordenou até 1994.

No período de 1986 a 1990, com o resultado da venda de trabalhos manuais e salgadinhos e uma pensão deixada pela mãe, conseguiu concluir o curso de Serviço Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e passou a aturar como profissional da área na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Arapongas, e na Pastoral do Menor da Paróquia Dom Bosco, em Londrina. Em 1991 ingressou na Agência Centro dos Correios, por meio de um convênio com a Associação dos Deficientes Físicos de Londrina (ADEFIL), e começou a se dedicar como voluntária ao Projeto Educador de Rua.

Mãe Social

Foi em 1993 que Édina Rocha começou uma nova experiência e passou a atuar como Mãe Social. Residia com os jovens em situação de vulnerabilidade social, período em que iniciou na cidade o projeto Criança e Adolescente em Situação de Rua e e lançou a ideia da Casa Abrigo. Aprovada em um teste seletivo do Estado do Paraná em 1996 começou a trabalhar no Setrem, depois Ciaadi e hoje Cense, com crianças e adolescentes envolvidos em atos infracionais. Quatro anos depois, em 2000, participou da fundação da Casa da Semiliberdade no Paraná.

Contratada pela Prefeitura de Londrina, coordenou o Programa Sinal Verde no período de 2001 a 2005 e depois trabalhou em diversas áreas da Secretaria Municipal de Assistência Social. Em 2011 concluiu, pela UEL, o curso de pós-graduação em Políticas Públicas para a Infância e Juventude. Aposentou-se em julho deste ano, quando exercia a função de técnica no Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS 1).

Principal proponente da honraria, a vereadora Elza Correia, diz que o Diploma de Reconhecimento Público a Édina Mariene Rocha reconhece e valoriza o pioneirismo da assistente social em projetos dirigidos às pessoas em situação de risco, que dedicou os melhores anos de sua vida para salvar e reconstruir vidas. “Antes mesmo de se discutir políticas públicas na área social, a Édina já se levantava para buscar alternativas. É uma das pessoas mais comprometidas com as causas sociais em Londrina. As suas limitações físicas nunca a impediram de buscar contato com as pessoas que precisavam de apoio. Por isso é que prestamos a ela esta justa homenagem”, afirmou a vereadora.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.