Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Coluna Social 08/10/2014  08h26

Câmara reconhece atuação social de Édina Rocha

Pioneira no apoio aos menores de rua e coordenadora do Programa Sinal Verde de 1986 a 90 vai receber homenagem; iniciativa é da vereadora Elza Correia

A Câmara de Vereadores de Londrina realiza amanhã (9/10), às 18h, na sala de sessões do Legislativo, a solenidade de entrega do Diploma de Reconhecimento Público à assistente social Édina Mariene Rocha, pioneira no trabalho de apoio aos menores de rua e ex-coordenadora, no município, do Programa Sinal Verde. A iniciativa para a entrega da honraria é da vereadora Elza Correia (PMDB) em razão do atuação social de Édina Rocha como voluntária e ocupante de cargos públicos na rede de proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade.

Édina Mariene Rocha nasceu em Ivaiporã (PR), em 31 de maio de 1952. Na infância e juventude enfrentou sérios problemas de saúde, como a paralisia infantil, que deixaram sequelas mas não a impediram de concluir o ensino médio como em Contabilidade. Em 1977, aos 24 anos, ingressou na Congregação das Irmãs da Providência de Sorocaba (SP), desligando-se das atividades eclesiásticas em 1987, um ano após sua chegada a Londrina. Ainda em 1987 participou da criação da comissão local do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, atividade que coordenou até 1994.

No período de 1986 a 1990, com o resultado da venda de trabalhos manuais e salgadinhos e uma pensão deixada pela mãe, conseguiu concluir o curso de Serviço Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e passou a aturar como profissional da área na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Arapongas, e na Pastoral do Menor da Paróquia Dom Bosco, em Londrina. Em 1991 ingressou na Agência Centro dos Correios, por meio de um convênio com a Associação dos Deficientes Físicos de Londrina (ADEFIL), e começou a se dedicar como voluntária ao Projeto Educador de Rua.

Mãe Social

Foi em 1993 que Édina Rocha começou uma nova experiência e passou a atuar como Mãe Social. Residia com os jovens em situação de vulnerabilidade social, período em que iniciou na cidade o projeto Criança e Adolescente em Situação de Rua e e lançou a ideia da Casa Abrigo. Aprovada em um teste seletivo do Estado do Paraná em 1996 começou a trabalhar no Setrem, depois Ciaadi e hoje Cense, com crianças e adolescentes envolvidos em atos infracionais. Quatro anos depois, em 2000, participou da fundação da Casa da Semiliberdade no Paraná.

Contratada pela Prefeitura de Londrina, coordenou o Programa Sinal Verde no período de 2001 a 2005 e depois trabalhou em diversas áreas da Secretaria Municipal de Assistência Social. Em 2011 concluiu, pela UEL, o curso de pós-graduação em Políticas Públicas para a Infância e Juventude. Aposentou-se em julho deste ano, quando exercia a função de técnica no Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS 1).

Principal proponente da honraria, a vereadora Elza Correia, diz que o Diploma de Reconhecimento Público a Édina Mariene Rocha reconhece e valoriza o pioneirismo da assistente social em projetos dirigidos às pessoas em situação de risco, que dedicou os melhores anos de sua vida para salvar e reconstruir vidas. “Antes mesmo de se discutir políticas públicas na área social, a Édina já se levantava para buscar alternativas. É uma das pessoas mais comprometidas com as causas sociais em Londrina. As suas limitações físicas nunca a impediram de buscar contato com as pessoas que precisavam de apoio. Por isso é que prestamos a ela esta justa homenagem”, afirmou a vereadora.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios