Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Trabalho é a segunda metade do álbum “Mente Andorinha”

O quarteto paranaense De um Filho, De um Cego alça voos mais altos com o EP “Andorinha”, abarcando novas sonoridades e influências. A novidade se soma a “Mente”, lançado em 2019, e as duas metades formam o disco cheio “Mente Andorinha”. Sintonizando de Sá e Guarabyra e Clube da Esquina ao grunge e ao indie, o grupo solidifica uma identidade sonora construída ao longo de pouco mais de seis anos de banda. O novo volume está disponível nas principais plataformas de streaming.

Ouça “Andorinha”: https://smarturl.it/Andorinha

O disco duplo “Mente Andorinha” fecha um ciclo ao reunir as faixas de ambos os momentos do trabalho. A ideia era criar uma estética e uma musicalidade ímpares em cada metade, indo do mais sóbrio e leve ao mais denso. A música setentista brasileira se encontra com o rock moderno, refletindo um amadurecimento da proposta para De um Filho, De um Cego ao buscar novas sonoridades e fortalecer os vínculos com sons regionais que estão no DNA do projeto.

 “Isso permitiu que a gente pudesse dar vazão pra todas as referências e sonoridades que a gente queria explorar no nosso som, e ainda assim construir algo coeso. O ‘Mente Andorinha’ é um resultado natural da nossa vontade de quebrar a rotina, de parar pra respirar, de digerir o que acontece em volta e aprender a fazer isso com a vida maluca que a gente vive”, reflete a banda.

 “Andorinha” é a metade mais voltada para as raízes do grupo. Elementos que já povoavam as canções de De um Filho, De um Cego surgem mais provocantes, menos tímidos, e foram amplificados por um processo mais colaborativo com mixagem de JR Tostói e masterização de Carlos Freitas. O EP foi antecipado pelo single “Sibipiruna”.

Com pouco mais de 10 anos de história, a banda formada por Lucas Waricoda (vocal e guitarra), Galego Teixeira (guitarra), Guilherme Nascimento (baixo) e Pedro Dutra (bateria) surgiu como um diário e se tornou um livro aberto sobre seus integrantes. Misturando vertentes do rock com harmonias e ritmos brasileiros, o quarteto - que hoje vê no cotidiano sua maior inspiração - surgiu de modo despretensioso como um projeto solo de Waricoda. Após dois EPs solo e a coletânea “Simplicidade”, de 2014, eles se consolidaram como banda com seu primeiro disco de inéditas “Outros Verões” (2016) e pegaram a estrada.

Agora, “Mente Andorinha” vem para somar a essa discografia. “Estamos bem animados com o trabalho que, na nossa opinião, consolida a identidade da nossa banda e do nosso som, que é sincerão, tanto na mensagem quanto nas referências”, resume Lucas.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.