Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Coluna Social 24/09/2014  08h52

“Londrina Pra Frente” facilita implantação de indústrias

Medidas ousadas desapropriam e disponibilizam áreas, criam infraestrutura para polos industriais, ampliam o aeroporto e habilitam a cidade para receber indústrias

O prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, anunciou ontem (23) uma série de medidas que darão novo impulso ao Programa “Londrina Pra Frente”, acelerando e facilitando as condições para implantação de indústrias no município. Para ele, essa medida representa uma mudança de rumo radical para o futuro da cidade.

“Tenho absoluta convicção de que o que acontece hoje é um marco para a história de Londrina. Isso significa mudar a matriz econômica do município de Londrina, através de atos concretos e não através de discursos. E atos concretos exigem projetos e planejamento. É isto que estamos trazendo aqui. Essa ação projeta, planeja e garante um futuro para os próximos 20 anos de desenvolvimento econômico”, disse Kireeff.

Durante a solenidade, foram assinados três decretos e anunciadas outras ações – inclusive na organização administrativa da Prefeitura - que criam ferramentas para avançar com o Plano Municipal de Desenvolvimento Industrial (PMDI) e declaram de utilidade pública para fins de desapropriação lotes de terra (da Cohab-LD), para o início do Polo Industrial Londrina-Noroeste – PIL - Noroeste (avenida Saul Elkind/Gleba Jacutinga) e Polo Industrial Londrina-Zona Sul, PIL-Sul (Rodovia 445). Uma das áreas, a da avenida Saul Elkind, tem 1.127.240 m²,  e acesso direto ao futuro contorno norte.

Entre as medidas estão as obras de ampliação do aeroporto na face Sul, como a conclusão do desvio da avenida Salgado Filho até a avenida das Américas; a desapropriação de área para ampliação do comprimento da pista e na face Norte; a desapropriação de área para pista de taxiamento e manobras de aeronaves comerciais de grande capacidade.

Investimentos

Para as obras de ampliação e modernização do aeroporto do aeroporto serão destinados R$ 30 milhões, dos R$ 50 milhões emprestados do governo do Estado, através da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu). Cerca de R$ 20 milhões vão para a implantação de infraestrutura nos parque industriais. Os R$ 20 milhões são advindos da Agência de Fomento do Paraná, já os outros R$ 30 milhões são do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

O secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega, explicou que essa ampliação do aeroporto vai aumentar o tráfego de pessoas, de empresários que vão investir na região e nos parques industriais. “É mais uma parte do sul e de São Paulo que vão se beneficiar com estas ações. É um momento importante em que vive o Paraná, sendo o terceiro estado da União em atração de novas empresas. Londrina não pode ficar para trás. Este aporte de R$ 20 milhões vai ajudar muito no desenvolvimento da infraestrutura dos parques industriais de Londrina”.

Ortega também explicou que o empréstimo feito pelo governo do Paraná a Londrina foi financiado em oito anos, sendo um ano de carência e sete para amortizar. “Dentro da capacidade de endividamento dos municípios, os recursos são descontados dos repasses do ICMS. São parcelas mensais a partir de um ano de carência. Estes recursos já estão disponíveis e depende da Prefeitura encaminhar os documentos necessários”, disse.

De acordo com o presidente da Codel, Bruno Veronesi, hoje é um dia importante para Londrina, porque está sendo feito um projeto para o futuro. “Londrina decidiu que o desenvolvimento econômico passa pela industrialização da cidade. E para isto é preciso oferecer aos empresários parques industriais com toda a infraestrutura necessária. Vamos entregar isto e vamos vender os lotes com sistema de subsídios. É um trabalho para atender mais de 500 indústrias. Podemos fazer um trabalho de promoção de Londrina nas várias federações industriais do Brasil e no exterior, porque teremos um produto para entregar”, ressaltou Veronesi.  “Indústrias não fazem questão de terrenos de graça, preferem infraestrutura e funcionalidade”, completou.

Metas

Ações anunciadas hoje são metas que contemplam: disponibilização de novos parques industriais com capacidade para implantação de pequenas, médias e grandes empresas; criação de zoneamento e legislação industrial eficiente para um desenvolvimento sustentável; desenvolvimento de mecanismos fiscais e procedimentos para atrair e facilitar a implantação de empresas; identificação de áreas de terra dentro do município de Londrina, com características de tamanho, localização e topografia adequadas para atender à demanda dos objetivos do PMDI.

São medidas ousadas, de amplo alcance, que o prefeito e uma assessoria técnica competente vinham estudando desde o início do mandato. Prevê-se, inclusive, a reorganização administrativa interna da Prefeitura, estabelecendo fluxos administrativos com vistas à celeridade na análise, enquadramento e aprovação dos projetos de loteamentos industriais e implantação de empresas. Enfim, o prefeito está criando as condições para conferir mais rapidez na parte administrativa.

No caso das desapropriações para ampliar a disponibilidade de áreas dentro das necessidades e características de diferentes ramos industriais, foi levando em conta as dificuldades de oferta do município. O município não tem banco de terrenos com áreas adequadas para viabilizar empreendimentos industriais capazes de gerar grande número de empregos e renda. Londrina encontra-se no quinto lugar na geração de empregos no Estado e é a sexta cidade na qualificação do IDH no Paraná e que o setor industrial corresponde a menos de 20% do PIB do município. Ao mesmo tempo, foi levada em consideração a existência de cadastro na CODEL de indústrias com pedidos de concessão de incentivo para implantação e ampliação de suas atividades.

Resumo

Programa “Londrina Pra Frente” acelera o Plano Municipal de Desenvolvimento Industrial. “É um modelo novo, moderno de industrialização, autofinanciado, que desonera o poder público, torna a aquisição competitiva dessas áreas para as indústrias e alimenta sua própria expansão”, disse Kireff.

Polo Industrial de Londrina PIL – região noroeste
O prefeito Alexandre Kireeff assinou o decreto n° 1.207, que declara de utilidade pública área o terreno de propriedade da Companhia de Habitação de Londrina (Cohab-LD) para implantação do Polo Industrial de Londrina – região Noroeste.
O valor é de R$ 25 milhões. São 273 lotes, sendo em sua maioria de 2.000 m². Eles totalizam uma área de 1.127.240m². A forma de pagamento do empréstimo é de cinco anos para amortização e 18 meses de carência. Recursos: carteira de comercialização dos lotes sob a coordenação da CODEL.

Município executa a infraestrutura. Recursos: empréstimo de R$ 20 milhões do governo do Estado. O produto das vendas dos lotes será destinado à criação do Fundo de Desenvolvimento Industrial de Londrina, que terá como objetivo reverter a renda para o fomento da industrialização na cidade.

Polo Industrial de Londrina PIL – região sul
O decreto n° 1.208, declara utilidade pública os lotes localizados no Quinhão n°5 da Fazenda Três Bocas, no Distrito de Irerê, destinado ao Polo Industrial de Londrina –Sul. A área mede 298.46586 hectares, que estão localizados à margem da Rodovia PR 445, próximo ao Distrito de Irerê.

Aeroporto
O prefeito também assinou a Comunicação Interna (CI) n°547/2014, que solicita a elaboração de um projeto de lei e posterior abertura de processo administrativo visando à permuta da área denominada “Tiro de Guerra”. A área mede 30.000 m². Serão feitas novas edificações para o Tiro de Guerra; deslocamento do muro (Infraero); e desapropriação da área para ampliação do comprimento da pista.
“É a finalização de todo o processo de ampliação de área de nosso aeroporto. Porque viabiliza os investimentos da Infraero, implementação do ILS, a mudança da pista do taxi e toda a finalização e desapropriação da face sul, leste e norte do aeroporto”, ressaltou Kireeff.
Face Sul: execução do desvio da avenida Salgado Filho até a avenida das Américas.
Face Norte: desapropriação da área para pista de taxiamento de aeronaves (custo do município).

NC/PML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios