Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Coluna Social 23/03/2017  08h59

Prefeitura lança Programa Londrina Mais

O objetivo é transformar Londrina em um município de referência em gestão pública compartilhada, promovendo o desenvolvimento sustentável

A Prefeitura de Londrina realizou, nesta quarta-feira (22), a apresentação do Programa Londrina Mais, que propõe uma nova forma de gerenciamento da cidade com participação da comunidade e transparência na gestão pública. O objetivo é construir um Município com melhores serviços públicos, valorização dos ativos existentes, estímulo ao desenvolvimento econômico, aumento da qualidade de vida e ganhos de imagens e projeção da cidade. Junto com diversas lideranças locais, o prefeito Marcelo Belinati e o assessor de Projetos Estratégicos, Luiz Figueira de Mello, participaram do evento, no Iate Clube de Londrina, para falar sobre esta iniciativa.

De acordo com o prefeito, o Programa é centrado em um modelo de gestão integrada e compartilhada e será implementado com a participação popular, visando abranger todos os segmentos sociais por meio de um processo de conscientização contínua. “Trata-se de uma iniciativa que passa pela coordenação da Prefeitura, mas será colocada em prática com a colaboração da sociedade civil organizada. Estamos fazendo um diagnóstico amplo e minucioso da cidade como nunca foi feito. A intenção é promover a construção de um senso coletivo que fortaleça as ações do poder público, para que Londrina volte a crescer e retome seu desenvolvimento em todas as áreas, de forma transparente e sustentável”, afirmou.

Marcelo ainda ressaltou que, um dos pilares do Londrina Mais para que o Município tenha seu protagonismo em uma forma de gestão que proporcione políticas públicas transformadoras, será a capacitação de pessoas com influência em seus bairros e regiões para transmitir conhecimentos e estimular a comunidade para tornar Londrina uma cidade melhor. “Vamos fazer um trabalho de qualificação dos chamados Professores de Cidade. A ideia é dividir Londrina em regiões e capacitar 500 pessoas para que atuem nessas áreas, ajudando a orientar a população no sentido de mostrar as maneiras corretas de cuidarmos da cidade. Quando prezamos por nossas ruas, bairros e espaços públicos também estamos cuidando de nós mesmos. É essa a consciência que queremos semear e fazer multiplicar, para que a comunidade participe e abrace a cidade conosco. Os problemas existem, sim, e por isso precisamos ter transparência para reconhecê-los, dialogando com a sociedade para encontrarmos as melhores soluções”, destacou.

Luiz Figueira de Mello, responsável pela coordenação dos trabalhos do Programa Londrina Mais, enfatizou que é papel do governo criar um ambiente propício para a realização das metas de desenvolvimento sustentável, envolvendo a participação integrada do poder público com a sociedade civil. “Para que seja possível realizar as metas de desenvolvimento sustentável, dentro do Programa, fatores como a transparência e a participação popular são fundamentais em uma gestão compartilhada. O foco das ações é construir uma cidade participativa e articulada que desenvolva com eficácia as capacidades individuais e coletivas”, disse.

Segundo Mello, Londrina deve ser protagonista na articulação regional, envolvendo o poder público, a sociedade civil organizada, as instituições de pesquisa e ensino e o cidadão comum na construção de um plano estratégico de desenvolvimento sustentável. “O Londrina Mais visa um novo modelo de gestão territorial, mais proativo, ágil e transparente”, completou.

Um dos empreendedores do projeto, o presidente da ONG Patrulha das Águas, Leandro Castro, destacou que a sociedade deve se envolver mais, participando dos debates com o poder público para que possamos ter um desenvolvimento sustentável com educação contínua. “Uma das nossas ações dentro do projeto será popularizar os espaços ambientais da cidade, para que a comunidade possa utilizá-los e usufruir dos recursos naturais”, disse.

Sobre o Programa - O objetivo central é transformar Londrina em um município de referência em gestão compartilhada, preocupado com o desenvolvimento sustentável; com gestores públicos mais ativos e transparentes; com políticas públicas transformadoras; com o aumento na arrecadação e na geração de trabalho, emprego e renda locais; com a superação do improviso na gestão pública e o aproveitamento e potencialização do capital humano existente na cidade, tornando a gestão mais participativa, includente, solidária, inovadora, inteligente, integrada e sustentável.

A iniciativa prevê o estabelecimento de políticas públicas e a atuação em todos os eixos de desenvolvimento, seja no segmento cultural, econômico, ambiental, social, territorial e na política. Para se obter informações consistentes e atualizadas sobre cada um desses setores  estão sendo chamados atores da sociedade civil organizada, instituições de ensino, empresariado, organizações não governamentais, entidades especialistas nas mais diversas áreas e o cidadão comum para participar de Grupos de Trabalho (GTs). Todos têm metas e prazos a serem cumpridos.

Até o momento, mais de dez GTs estão trabalhando no levantamento de indicadores e dados articulados para a promoção e acompanhamento do processo e elaboração de políticas públicas eficientes e integradas aos diversos órgãos envolvidos. Eles estão estudando medidas para a desburocratização da administração pública; inclusão, capacitação e incentivo permanente às Micro e Pequenas Empresas; reforma fiscal e administrativa;gestão territorial por bacias hidrográficas, criação da lei do voluntariado; entre outros.

Programas inspiradores - Para a criação do Programa Londrina Mais, os fomentadores da ideia se basearam em pesquisas acadêmicas, experiências de outros municípios e programas nacionais e internacionais de sucesso no desenvolvimento de cidades com gestão compartilhada, como o Cidades Educadoras, Cidades Sustentáveis, Cidades Empreendedoras e o Cidade Mais.

O programa Cidades Educadoras, por exemplo, visa promover a formação integral dos cidadãos como agentes de mudança do local onde estão inseridos, para que todos tenham acesso aos bens culturais e sociais. No mundo, há 482 cidades que participam desse programa. No Brasil, 16 municípios são participantes. No Paraná, Londrina será a primeira cidade a aderir a iniciativa.

Já o Cidades Sustentáveis propõe o seguimento de 12 eixos para o desenvolvimento da gestão pública como a governança compartilhada, a preservação e proteção dos bens naturais comuns, promoção de comunidades inclusivas e solidárias, a criação de condições para uma economia local dinâmica e criativa, que garanta o acesso ao emprego, a implementação de uma gestão municipal eficiente no planejamento, execução e avaliação de políticas públicas, entre outras ações.

Também participaram do evento de apresentação do Programa Londrina Mais a promotora de Justiça Solange Vicentin; o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça; o vice-comodoro do Iate Clube de Londrina, Paulo Bassani; o diretor superintendente da Folha de Londrina, José Nicolás Mejía; o presidente do Sinduscon Norte, Rodrigo Zacaria, além dos vereadores Mario Takahashi, Péricles Deliberador e Filipe Barros.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.