Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Grupo de rock samba sobe ao palco do Santarena Bar na próxima sexta-feira (11)

Na próxima sexta-feira (11), o grupo Sambô se apresenta em Londrina (PR) com a turnê “Pediu pra Sambar, Sambô”. Com nova formação e CD novo na praça, o Sambô sobe ao palco do Santarena Bar (Rua Prefeito Faria Lima, 1.710, Londrina/PR), a partir das 23h.

Uma nova voz, o alto-astral de sempre. Não à toa, é assim que o Sambô descreve a nova fase do grupo, que agora tem a chegada de um novo integrante. Formado por Julio Fejuca no cavaco, guitarra, banjo e vocais, Sudu Lisi na bateria e Zé da Paz no pandeiro e vocais, a banda recebe de braços abertos um novo cantor: Hugo Rafael. Sorocabano que se encaixa perfeitamente nas características em comum dos demais integrantes do Sambô: alegria contagiante no palco e música de qualidade correndo nas veias.

Com pouco mais de dez anos de estrada, o Sambô virou referência nos palcos por conta de sua ousadia musical, unindo rock com samba e transformando clássicos em um som cheio de suingue e batuque. Isso não muda com a renovação da formação. E nem poderia, afinal, a essência do grupo é exatamente essa. Com a chegada de Hugo Rafael, essa “brincadeira” de fazer música está na verdade mais forte.

A pegada soul de Hugo se une ao molejo de Zé, que passeia no rock das baquetas de Sudu pra ganhar vida no cavaco de Fejuca. Isso é mais do que nunca Sambô e a união no palco comprova isso.

Com novo repertório e muito mais interação do grupo no palco, desde setembro Sudu Lisi, Zé da Paz, Hugo Rafael e Julio Fejuca comandam a turnê “Pediu pra Sambar, Sambô”.

No repertório, as versões em samba para clássicos do pop e rock continuam e há novidades no setlist, se misturando a releituras de sucessos de Molejo e Tim Maia, entre outros. Além, claro, daquelas que são já marca registrada do Sambô, como “Sunday Bloody Sunday” (U2) e “This Love” (Maroon 5). Estas, claro, estão presentes no show e nem poderiam sair. O público sentiria falta.

Desde o final do ano passado, Hugo Rafael se reveza com Fejuca e Zé da Paz nos vocais do Sambô. No estúdio, a combinação de vozes e a união de talentos do quarteto deu forma ao primeiro álbum desta formação, que  segue a linha musical que é marca registrada do grupo, com versões de músicas gringas e nacionais, sempre com o jeito Sambô de fazer som.

As produções musicais do novo show e do álbum estão sob o comando de Ricardo Gama, ex-tecladista e agora empresário da banda que é responsável também pelo surgimento do Sambô. Inclusive, é de Gama a produção dos três trabalhos anteriores do grupo (Sambô ao Vivo/ Estação Sambô Ao Vivo/SAMBÔ em ESTÚDIO e em CORES). Sendo assim, toda atenção para que a essência do Sambô se mantenha a cada novo trabalho é um dos maiores cuidados do músico, principalmente agora na fase de renovação.

O Sambô é formado por artistas de diferentes escolas e estilos musicais, por isso essa mistura é inevitável. Sem pretensões de formar uma banda, se reuniram em uma tradicional roda de samba para animar um aniversário de um amigo. Doze anos após essa reunião tão bem-sucedida, uma nova voz chega para dar fôlego novo ao projeto que conquistou um público fiel, apaixonado pela música e pela festa que o Sambô faz no palco, de um jeito leve e descontraído.

Paola Correa /Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.