Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Festival de Dança dá largada à maratona de espetáculos e oficinas com uma ocupação inusitada no centro de Londrina. Grupo Ares, de São Paulo, dança no alto de edifício histórico projetado por Vilanova Artigas
 
Renato Forin Jr./Asimp/Festival de Dança
 
O Festival de Dança, na abertura de sua 11ª edição, presta homenagem à beleza urbana de Londrina com um espetáculo ao ar livre. Pela primeira vez na cidade, o Grupo Ares, de São Paulo, colore os céus e apresenta uma performance impactante de dança aérea. Na noite desta sexta-feira, às 19 horas, os bailarinos ocuparão o prédio em reformas da antiga Casa da Criança, sede da Secretaria Municipal de Cultura (em frente à Concha Acústica), para apresentar o espetáculo “Tempo Suspenso”.
 
“É o anúncio do tempo de suspensão que a dança propiciará à cidade nos próximos dez dias, um momento de reflexão e delicadeza, mas também de pensar a arte por um viés que não é só contemplativo, mas provocador e irreverente”, destaca a coordenadora geral Danieli Pereira. O público ficará nos bancos da Concha Acústica e nos arredores, voltado na direção do histórico prédio projetado por Carlos Cascaldi e Vilanova Artigas no início da década de 1950, símbolo do progresso e da arquitetura modernista em Londrina. As reformas no local estão paralisadas.
 
“Tempo Suspenso” estreou em São Paulo em 2007, na fachada do antigo Shopping Light, e foi remontada especialmente a convite do Festival de Dança. “Estamos ensaiando a semana toda. Que bom que tivemos esta oportunidade de remontá-lo, porque é um espetáculo que gosto muito – é simples e poético, o espetáculo com o qual o grupo surgiu”, diz a diretora Monica Alla. Por aqui, a montagem receberá pequenas adaptações para homenagear a cidade. Um exemplo é a canção “Londrina”, de Arrigo Barnabé, que integrará a trilha junto de clássicos como “Beatriz” (Edu Lobo e Chico Buarque) e “Oração ao Tempo” (Caetano Veloso).
 
Ao som da nostálgica canção de Arrigo, interpretada por Tetê Espíndola, a figura de uma mulher antiga e romântica, com um longo vestido vermelho, atira-se do parapeito para um mergulho no ar. Enquanto ela ‘dança no sétimo céu’, outros personagens caminham perpendicularmente à parede do edifício, como se estivessem andando pelas ruas londrinenses. Do alto, olham o cotidiano a partir de outra perspectiva e lançam uma possibilidade criativa, onírica: a arte e a beleza como escapes das tensões do dia-a-dia. “Vivemos num contexto de correria, as pessoas caminham pelas ruas e mal se cumprimentam. Por isso pensamos em colocar as mesmas pessoas andando no prédio, fora desse cotidiano”, explica Alla.
 
O Grupo Ares trabalha a confluência de linguagens artísticas a partir da dança aérea. Segundo a diretora, a intenção é “fazer teatro fora do teatro” e transformar espaços convencionais para inseri-los num contexto estético. A proposta alinha-se com a ideia do Festival de Dança de Londrina 2013, que traz o diálogo entre as artes como marca de sua programação.
 
Em caso de chuva, a apresentação será transferida para o interior do Royal Plaza Shopping (Rua Mato Grosso, 310).
 
O Grupo
 
Criado em janeiro de 2007, o Grupo Ares é um núcleo artístico de pesquisa e criação que tem como principal objetivo buscar a verticalidade em cena por meio dos mais diferentes aparelhos aéreos, unindo-os à dança, ao teatro físico e ao circo contemporâneo para a criação de espetáculos, performances e intervenções.
 
Utilizando esta mescla de linguagens, as criações do grupo sempre buscam algo de sonho, de imagem, mais do que palavras. A proposta é mudar a perspectiva da cena que se vê e contrapor o virtuosismo e a força do movimento à sensibilidade e leveza do voo, do salto. O Grupo Ares faz da busca por novas possibilidades estéticas seu grande desafio, colocando os corpos e as ideias no ar.
 
A escolha de locais inusitados para a realização de suas apresentações também é uma forte característica do grupo Os trabalhos já aconteceram na fachada de prédios, em piscinas, galerias de arte, espaços públicos diversos, além de teatros convencionais.
 
Dirigido por Monica Alla, o ARES conta com um elenco flexível, que pode mudar a cada proposta de criação.
 
O 11º Festival de Dança de Londrina acontece de 4 a 13 de outubro de 2013.
O Festival é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná). Apoio institucional: Funcart. Patrocínio: Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC); Caixa Econômica Federal e SESI. Apoio: Loja Shop Ballet; Rádio UEL; College Language Center; Casa de Cultura da UEL / Divisão de Artes Cênicas; CLAC – Centro de Artes e Loja Balé Mania.
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios