Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Festival de Dança dá largada à maratona de espetáculos e oficinas com uma ocupação inusitada no centro de Londrina. Grupo Ares, de São Paulo, dança no alto de edifício histórico projetado por Vilanova Artigas
 
Renato Forin Jr./Asimp/Festival de Dança
 
O Festival de Dança, na abertura de sua 11ª edição, presta homenagem à beleza urbana de Londrina com um espetáculo ao ar livre. Pela primeira vez na cidade, o Grupo Ares, de São Paulo, colore os céus e apresenta uma performance impactante de dança aérea. Na noite desta sexta-feira, às 19 horas, os bailarinos ocuparão o prédio em reformas da antiga Casa da Criança, sede da Secretaria Municipal de Cultura (em frente à Concha Acústica), para apresentar o espetáculo “Tempo Suspenso”.
 
“É o anúncio do tempo de suspensão que a dança propiciará à cidade nos próximos dez dias, um momento de reflexão e delicadeza, mas também de pensar a arte por um viés que não é só contemplativo, mas provocador e irreverente”, destaca a coordenadora geral Danieli Pereira. O público ficará nos bancos da Concha Acústica e nos arredores, voltado na direção do histórico prédio projetado por Carlos Cascaldi e Vilanova Artigas no início da década de 1950, símbolo do progresso e da arquitetura modernista em Londrina. As reformas no local estão paralisadas.
 
“Tempo Suspenso” estreou em São Paulo em 2007, na fachada do antigo Shopping Light, e foi remontada especialmente a convite do Festival de Dança. “Estamos ensaiando a semana toda. Que bom que tivemos esta oportunidade de remontá-lo, porque é um espetáculo que gosto muito – é simples e poético, o espetáculo com o qual o grupo surgiu”, diz a diretora Monica Alla. Por aqui, a montagem receberá pequenas adaptações para homenagear a cidade. Um exemplo é a canção “Londrina”, de Arrigo Barnabé, que integrará a trilha junto de clássicos como “Beatriz” (Edu Lobo e Chico Buarque) e “Oração ao Tempo” (Caetano Veloso).
 
Ao som da nostálgica canção de Arrigo, interpretada por Tetê Espíndola, a figura de uma mulher antiga e romântica, com um longo vestido vermelho, atira-se do parapeito para um mergulho no ar. Enquanto ela ‘dança no sétimo céu’, outros personagens caminham perpendicularmente à parede do edifício, como se estivessem andando pelas ruas londrinenses. Do alto, olham o cotidiano a partir de outra perspectiva e lançam uma possibilidade criativa, onírica: a arte e a beleza como escapes das tensões do dia-a-dia. “Vivemos num contexto de correria, as pessoas caminham pelas ruas e mal se cumprimentam. Por isso pensamos em colocar as mesmas pessoas andando no prédio, fora desse cotidiano”, explica Alla.
 
O Grupo Ares trabalha a confluência de linguagens artísticas a partir da dança aérea. Segundo a diretora, a intenção é “fazer teatro fora do teatro” e transformar espaços convencionais para inseri-los num contexto estético. A proposta alinha-se com a ideia do Festival de Dança de Londrina 2013, que traz o diálogo entre as artes como marca de sua programação.
 
Em caso de chuva, a apresentação será transferida para o interior do Royal Plaza Shopping (Rua Mato Grosso, 310).
 
O Grupo
 
Criado em janeiro de 2007, o Grupo Ares é um núcleo artístico de pesquisa e criação que tem como principal objetivo buscar a verticalidade em cena por meio dos mais diferentes aparelhos aéreos, unindo-os à dança, ao teatro físico e ao circo contemporâneo para a criação de espetáculos, performances e intervenções.
 
Utilizando esta mescla de linguagens, as criações do grupo sempre buscam algo de sonho, de imagem, mais do que palavras. A proposta é mudar a perspectiva da cena que se vê e contrapor o virtuosismo e a força do movimento à sensibilidade e leveza do voo, do salto. O Grupo Ares faz da busca por novas possibilidades estéticas seu grande desafio, colocando os corpos e as ideias no ar.
 
A escolha de locais inusitados para a realização de suas apresentações também é uma forte característica do grupo Os trabalhos já aconteceram na fachada de prédios, em piscinas, galerias de arte, espaços públicos diversos, além de teatros convencionais.
 
Dirigido por Monica Alla, o ARES conta com um elenco flexível, que pode mudar a cada proposta de criação.
 
O 11º Festival de Dança de Londrina acontece de 4 a 13 de outubro de 2013.
O Festival é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná). Apoio institucional: Funcart. Patrocínio: Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC); Caixa Econômica Federal e SESI. Apoio: Loja Shop Ballet; Rádio UEL; College Language Center; Casa de Cultura da UEL / Divisão de Artes Cênicas; CLAC – Centro de Artes e Loja Balé Mania.
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.