Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A pretexto que o trabalho voluntário é importante, dignifica, ensina, muitos têm utilizado destas premissas para levar ou lesar incautos puros de coração.

Estou me referindo a empresas pelo mundo afora que tem se utilizado do termo trabalho voluntário de forma errônea, na minha visão de trabalho voluntário, trocando algumas palavras fica tudo certo para todo mundo.

Hostel = Em poucas palavras, um hostel é um tipo de acomodação mais econômica, que se concentra em uma experiência social compartilhada.substantivo masculino, estabelecimento que, semelhante a um hotel, se destina à hospedagem de pessoas, geralmente por um preço mais acessível; albergue.

Em nenhuma definição encontrei que o referido estabelecimento é uma OSC – organização da sociedade civil sem finalidade lucrativa, motivada por uma causa, salvo a econômica.

Estes estabelecimentos têm anunciado pelo mundo, experiencias voluntárias, você trabalha um período no estabelecimento e outro período vai “turistar”. Está tudo perfeito e sei que é uma experiencia compartilhar quartos, fazer novas amizades, perfeito, mas isso não é trabalho voluntário, é uma troca de serviços. Você presta serviço no hostel e o hostel presta o serviço de hospedagem. Não podemos confundir.

Outros com a “desculpa” de ensinar bio-construção, o que acho maravilhoso, também oferecem oportunidades de trabalho voluntário para construir uma casa ou algo parecido, em troca do aprendizado e de tempo para fazer passeios na região.

Estou aqui para apontar o que é, e o que não é. Trabalho voluntario tem uma causa para ser apoiada, tem um mote maior, saúde, habitação, educação, cultura, alimentação etc.

O que tenho visto é a troca de serviços, o que já foi chamado um dia de escambo, é uma atividade de troca, que era utilizada quando ainda não havia um sistema monetário. Essa troca, conhecida como permuta ou troca direta, envolvia apenas, coisas, serviços ou ambos. Acho uma forma ótima de se relacionar comercialmente, precisa e pode ser feito, mas tem que ser dado o nome correto para as coisas, para um não prejudicar o outro.

Fiquem atentos quando buscarem uma oportunidade de trabalho voluntário para não se depararem com um escambo de serviços.

Roberto Ravagnani é palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor especialista em voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário palhaço hospitalar desde 2000, fundador da ONG Canto Cidadão, da IPA Brasil e da AFINCO, Associado para o voluntariado da GIA Consultores no Chile, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia, sócio da empresa de consultoria Comunidea, criador e gestor de eventos filantrópicos, porta voz pela ONU, Membro Hub One, Líder Internacional de Yoga do Riso, Conselheiro de Relações Sociais e Familiares do Instituto i. s. de desenvolvimento e sustentabilidade Humana, Diretor da rádio Tom Social e Associado da VRS Consult da Guatemala. www.robertoravagnani.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios