Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Guiada pelo lema "ARTE DÁ TRABALHO", mostra reúne nomes como Hiran, Josyara, e Tiganá Santana, além de performances, debates, intervenções e uma série de outras atividades digitais. Programação acontece de 23 a 27 de agosto, em horário comercial, das 9h às 18h. Os acessos serão gratuitos ou ao preço de R$ 6,39

A partir de variadas perspectivas de um debate constante da sociedade brasileira, a 14ª edição do IC Encontro de Artes reúne 10 proposições artísticas que se encontram em torno do lema “Arte Dá Trabalho”. O evento se espalha em diversas plataformas digitais – e nas ruas de Salvador (BA) – entre os dias 23 e 27 de agosto, em horário comercial, das 9h às 18h, numa programação que apresenta produções e adaptações inéditas, além de modos diferentes de fruição. As performances “Teletrabalho Normal”, de Cláudia Müller (MG/SP), “A Babá Quer Passear”, de Ana Flávia Cavalcanti (RJ), “Bola de Fogo”, de Fábio Osório Monteiro (BA), e “Visitas Desanimadas”, do Palhaço Klaus (SP), são alguns dos destaques.

Anteriormente agendado para acontecer em 2020, o IC14 viu a sua afirmação fundante, definida antes da chegada do coronavírus ao Brasil, tomar novas dimensões. “Arte Dá Trabalho” tornou-se uma bandeira política mais urgente diante dos impactos das atividades interrompidas e da necessidade de reinvenção constante para a subsistência de artistas e para a garantia do direito de acesso à arte aos públicos confinados. Enquanto isso, pensar sobre trabalho, renda, reconhecimento, tempo, disponibilidade, prontidão, exaustão, produtividade, instabilidade, digitalização da vida e de serviços se estabeleceu como realidade inquietante para as mais variadas profissões.

Começando com uma provocação já pelo seu horário, baseado na imprecisão do que hoje é o tempo livre, o IC também apresenta o “TOCA! Happy Hour”, com a participação de 12 artistas da música contemporânea da Bahia: Tiganá Santana, Josyara, Hiran, Yan Cloud, Jadsa, Vírus, Neila Kadhí, Ian Lasserre, Fatel, Mirceia Jordana, Juli e Andrezza Santos.

A minissérie sobre teatros da Bahia “Arquivo de Espaço”, de Larissa Lacerda (BA), a intervenção urbana “Kombi do Mal”, da Lambes do Mal (BA), o seminário “Feednário”, de Renan Marcondes (SP), e a residência artística “PodCartas”, com 40 artistas de todas as regiões do Brasil e de países da América Latina, completam a mostra artística. Como atividade de formação, o artista visual, designer e performer João Emediato (MG/Finlândia) realiza um laboratório de criação do zine “Breve Atlas do Trabalho IC14”.

O IC14 ainda adiciona uma atividade extra e antecipada para aquecer, na semana anterior ao evento, o debate sobre arte e trabalho. O “Entrevista de Emprego” recebe nomes como a rapper e historiadora Preta Rara e a criadora de conteúdo e faxineira Verônica Oliveira.

Pelo oitavo ano, o IC Encontro de Artes tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, contemplado pelo Edital de Eventos Culturais Calendarizados.

Realizado anualmente pela Dimenti Produções Culturais em parceria com a Associação Conexões Criativas, o IC conta com Ellen Mello, Fábio Osório Monteiro, Jorge Alencar, Larissa Lacerda e Neto Machado entre os artistas-curadores-produtores.

Asimp/14ª edição do IC Encontro de Artes

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.