Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Patrial transita entre a música e as artes visuais desde 2000

O artista visual e músico Vinícius Patrial apresenta sua primeira solo "Trágico Conforto", até 18 de outubro de 2020, no projeto Vara no site da produtora independente Brava (https://brava.etc.br/vara/). Com 39 obras, entre pinturas, collages e objetos (entre eles, máscaras), a exposição é resultado da produção durante a quarentena e no ano passado.

Patrial é um dos fundadores do trio Vermes do Limbo, banda que nasceu em 1996 e sempre prezou em discutir e elaborar a arte gráfica/música de forma mais integrada possível. E a experimentação é a base para a relação entre esses duas plataformas artísticas.

Vara é o território expositivo da Brava, produtora independente baseada em São Paulo, que busca através deste projeto reunir artistas que desenvolvem trabalhos gráficos, em paralelo a trabalhos sonoros, curando e produzindo eventos em que possam expor sua arte em ambas as formas.

"Vinícius Patrial rejeita a ideia recorrente impregnada nesta dupla quimérica: progresso/conforto, na qual as experiências evidenciam um conforto ilusório, que caminha na contramão da existência e dilacera a vida em todos os sentidos", afirma a psicanalista e fundadora do atelier Bricoleur Maria Regina Marques no texto

crítico da mostra online.

Vinícius Patrial

Nasceu em Londrina, no Paraná, em 1976. Cursou Arquitetura no Centro Universitário Filadélfia - UniFil, em 2003, mas tem se dedicado à música e às artes visuais. Co-fundador, baixista e vocalista da banda Vermes do Limbo, de 1996 até hoje, com qual tem mais 15 álbuns gravados, entre cds, vinis e cassetes. Foi autor da música "SK8" (2012), gravada pela banda de música infantil Pequeno Cidadão, de Arnaldo Antunes, Taciana Barros, Edgard Scandurra e Antonio Pinto.

Com o Vermes do Limbo, já tocou na Galeria Vermelho, Feira Tijuana, Soma, Feira Plana (com Coletivo Membrana), Festival Das Days - Adidas, Sesc Paulista, CCSP (2017-2015),  Virada Cultural SP (2017),  Dia da Música (2016), abertura para banda Missing Men, no Converse Popload 2013 e OIDARADIO Sessions, Mobile Radio, na Bienal de Arte SP (2012).

Criou o Experimental Skate Art (ESA), nos últimos anos, que desenvolve projetos voltados à cultura skate - como criação de pistas e estruturas inusitadas, além de ministrar cursos para o grande público. Com ele participou de diversos eventos, como Festival Mesa Vista, Criação conjunto com coletivo MudaLab, Red Bull station (2019); série de 4 Instalações skatáveis, Red Bull Tricks n roll, STU (2018) e a instalação skatavel móvel "Série Remake", Vice/Petrobras (2017).

Participou de diversas coletivas, como a instalação skatável no "Pista pallet", "Homenagem a Oscar Niemeyer" e "Pimball" - Evento internacional de Cultura e Entretenimento, FestValma (edições 2010, 2009 e 2008), no Prédio Bienal São Paulo; série de 10 instalações para vídeo "Como Acelerar o Aquecimento Global", MTV, SP (2007); Exposição coletiva "De arte em shape de skate", revista 100% Skate, SP (2005); Salão Banestado de Artistas Inéditos Curitiba (2002); "Projeto Espaço Urbano" - Sec. Cultura de Londrina, Biblioteca Pública Londrina (2002) e "Transfiguração da arte pensamento" no Espaço Yoshiya Nakagawara (2000).

Erico Marmiroli/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios