Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Patrial transita entre a música e as artes visuais desde 2000

O artista visual e músico Vinícius Patrial apresenta sua primeira solo "Trágico Conforto", até 18 de outubro de 2020, no projeto Vara no site da produtora independente Brava (https://brava.etc.br/vara/). Com 39 obras, entre pinturas, collages e objetos (entre eles, máscaras), a exposição é resultado da produção durante a quarentena e no ano passado.

Patrial é um dos fundadores do trio Vermes do Limbo, banda que nasceu em 1996 e sempre prezou em discutir e elaborar a arte gráfica/música de forma mais integrada possível. E a experimentação é a base para a relação entre esses duas plataformas artísticas.

Vara é o território expositivo da Brava, produtora independente baseada em São Paulo, que busca através deste projeto reunir artistas que desenvolvem trabalhos gráficos, em paralelo a trabalhos sonoros, curando e produzindo eventos em que possam expor sua arte em ambas as formas.

"Vinícius Patrial rejeita a ideia recorrente impregnada nesta dupla quimérica: progresso/conforto, na qual as experiências evidenciam um conforto ilusório, que caminha na contramão da existência e dilacera a vida em todos os sentidos", afirma a psicanalista e fundadora do atelier Bricoleur Maria Regina Marques no texto

crítico da mostra online.

Vinícius Patrial

Nasceu em Londrina, no Paraná, em 1976. Cursou Arquitetura no Centro Universitário Filadélfia - UniFil, em 2003, mas tem se dedicado à música e às artes visuais. Co-fundador, baixista e vocalista da banda Vermes do Limbo, de 1996 até hoje, com qual tem mais 15 álbuns gravados, entre cds, vinis e cassetes. Foi autor da música "SK8" (2012), gravada pela banda de música infantil Pequeno Cidadão, de Arnaldo Antunes, Taciana Barros, Edgard Scandurra e Antonio Pinto.

Com o Vermes do Limbo, já tocou na Galeria Vermelho, Feira Tijuana, Soma, Feira Plana (com Coletivo Membrana), Festival Das Days - Adidas, Sesc Paulista, CCSP (2017-2015),  Virada Cultural SP (2017),  Dia da Música (2016), abertura para banda Missing Men, no Converse Popload 2013 e OIDARADIO Sessions, Mobile Radio, na Bienal de Arte SP (2012).

Criou o Experimental Skate Art (ESA), nos últimos anos, que desenvolve projetos voltados à cultura skate - como criação de pistas e estruturas inusitadas, além de ministrar cursos para o grande público. Com ele participou de diversos eventos, como Festival Mesa Vista, Criação conjunto com coletivo MudaLab, Red Bull station (2019); série de 4 Instalações skatáveis, Red Bull Tricks n roll, STU (2018) e a instalação skatavel móvel "Série Remake", Vice/Petrobras (2017).

Participou de diversas coletivas, como a instalação skatável no "Pista pallet", "Homenagem a Oscar Niemeyer" e "Pimball" - Evento internacional de Cultura e Entretenimento, FestValma (edições 2010, 2009 e 2008), no Prédio Bienal São Paulo; série de 10 instalações para vídeo "Como Acelerar o Aquecimento Global", MTV, SP (2007); Exposição coletiva "De arte em shape de skate", revista 100% Skate, SP (2005); Salão Banestado de Artistas Inéditos Curitiba (2002); "Projeto Espaço Urbano" - Sec. Cultura de Londrina, Biblioteca Pública Londrina (2002) e "Transfiguração da arte pensamento" no Espaço Yoshiya Nakagawara (2000).

Erico Marmiroli/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.