Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Nesta quarta, companhia inicia apresentações de seu Atelier de Criação, com música ao vivo de Marco Tureta

Corpo, música e poesia do movimento no espaço íntimo de um encontro bem próximo do público. Essa é a proposta do Atelier de Criação que o Ballet de Londrina começa a desenvolver em um dos bares mais tradicionais da cidade, o Valentino (R. Pref. Faria Lima, 486). Pela primeira vez em sua trajetória de 25 anos, a companhia desenvolve um trabalho colaborativo: criações coreográficas dos próprios bailarinos para serem experimentadas nos corpos de outros bailarinos. O resultado é uma sequência de cenas amarradas pela música concebida e executada ao vivo por Marco Tureta e que ocuparão não só o palco, mas também o salão do pub.

A primeira apresentação acontece hoje, dia 7 de agosto, às 21 horas, com couvert a R$15. A entrada também pode ser adquirida antecipadamente na Funcart (Souza Naves, 2380) pelo preço promocional único de R$10. São apenas 100 lugares e a classificação indicativa é de 18 anos. Mais informações pelo whatsapp (43)99168-3972. A realização é da Funcart, instituição conveniada com a Prefeitura Municipal de Londrina.

A ideia de abrir a criação para os bailarinos foi do diretor Leonardo Ramos. “A intenção é que os bailarinos experimentem como é conceber algo para outra pessoa executar. É fácil criar para si, pois a gente só faz o que sabe melhor. Os desafios começam ao lançar esse olhar para o próximo”. Nesta primeira experiência, os integrantes do elenco que assinam as coreografias são Lucas Manfré, Marciano Boletti e Viviane Terrenta. Posteriormente, o trabalho continua transformando-se, com inclusão ou supressão de cenas e participação de outros dançarinos, de forma muito livre, como um work in progress. Mais duas apresentações estão previstas até o fim do ano, nos dias 19 de setembro e 8 de outubro.

Para a execução da trilha sonora ao vivo, Ramos convidou o músico Marco Tureta. Ele vai utilizar matrizes musicais do espetáculo “Eternamente”, que concebeu para a companhia em 2002, utilizando playbacks e fundindo-os à guitarra. Tureta é parceiro antigo do Ballet de Londina: elaborou trilhas especiais desde quando era estudante de música na UEL. Dentre as montagens que tiveram seu desenho sonoro estão “Ethos” e “Nunca” (com Henrique Bittencourt), “Movimento” (com action painting de Regina Mello), “Eternamente”, “Fome” e “Prazeres”.

O diretor explica que há muito tempo tem o desejo de levar alguma peça para o Bar Valentino, mas sempre há o impasse da montagem cênica em um local alternativo. Como a atelier tem uma estrutura mais simples e fragmentada, esta adaptação foi possível. “Vamos experimentar um espaço e um público com outra pegada, mas não é diferente do que nós e a Escola de Dança nos propomos quando ocupamos palcos como a Concha Acústica, uma praça ou a quadra de uma escola pública”, comenta Ramos.

Renato Forin Jr./Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.