Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Atividade do projeto “Toda quinta tem história” vai receber alunos da Escola Municipal Osvaldo Cruz

A Biblioteca Pública Eugênia Monfranati promove amanhã (4), às 14 horas, mais uma atividade do projeto “Toda quinta tem história”. Desta vez, a contação de história será sobre o clássico "Peter Pan” e vai receber mais de 50 alunos da Escola Municipal (EM) Osvaldo Cruz. Crianças e adolescentes que tenham interesse em participar são bem-vindos, sem necessidade de inscrição prévia. O endereço é Avenida Guilherme de Almeida, 2.260, Ouro Branco, na região sul.

O professor e artista Paulo Tio dirige a atividade e narra as aventuras dos irmãos Wendy, João e Miguel com Peter Pan, que quer ser eternamente menino. Na história criada pelo escritor escocês J.M. Barrie e publicada pela primeira vez no início do século XX, o protagonista e a fada Sininho levam seus amigos para conhecer o lugar em que vivem, a Terra do Nunca, onde o tempo não passa e uma sucessão de episódios espera a turma.

O projeto “Toda quinta tem história”, que consiste em oferecer atividades de contação de histórias voltadas ao público infantojuvenil, acontece sempre às primeiras quintas-feiras de cada mês da Biblioteca Pública Municipal. Nesta quinta, o lugar recebe duas turmas dos quintos anos da EM Osvaldo Cruz para a atividade, que tem como objetivo apresentar a histórias de forma dinâmica incentivando o ato da leitura.

De acordo com a gestora auxiliar da escola, Débora dos Santos Silva, é importante que os alunos se envolvam com a programação oferecida pela Biblioteca. “Já participamos outras vezes com turmas de outros anos porque sabemos que isso contribui para o aprendizado dos alunos. Também é importante que eles tenham contato com a Biblioteca, que fica no bairro, saibam que existe a oportunidade de participar das atividades e que existe um espaço pra ler e se informar fora da escola”, disse.

Débora destacou que a contação de histórias promove o desenvolvimento do gosto e hábito de leitura. “A atividade contribui para que os estudantes desenvolvam o prazer na hora de ler, já que durante a contação eles têm contato com a literatura de forma dinâmica e divertida. Isso os desperta para um outro universo, onde a leitura é um lazer e não uma obrigação”, afirmou.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios