Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Programa do governo do Estado utiliza recursos da Lei Aldir Blanc; inscrições para os trabalhadores culturais iniciam quarta-feira (15)

Nesta quarta-feira (15), começam as inscrições para o Programa de Bolsa Qualificação Cultural, que irá oferecer 596 vagas para Londrina para bolsas no valor de R$3 mil. O programa é mais uma ação da Lei Aldir Blanc, criada para fomento ao setor cultural por conta da pandemia, e realizada em parceria pela Secretaria Estadual da Comunicação Social e da Cultura (SECC) e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Os links para inscrição serão disponibilizados nas páginas da SECC, cultura.pr.gov.br e leialdirblanc.pr.gov.br, nesta quarta-feira (15). O anúncio do programa foi feito durante o Ciclo de Diálogo com os Municípios, evento on-line que contou com participação da Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. Ao todo, a iniciativa deverá beneficiar 12 mil trabalhadores do setor cultural no Paraná.

Para o secretário municipal de Cultura, Bernardo Pellegrini, o lançamento do Programa Bolsa Qualificação é uma grande notícia para a cultura de Londrina. “Não só porque irá injetar quase R$1,8 milhões a mais nos produtores culturais da cidade, mas também porque irá auxiliar a comunidade de artistas, produtores e toda cadeia produtiva cultural a se qualificar com os cursos elaborados pela universidade de Ponta Grossa”, citou.

As inscrições para a Bolsa Qualificação Cultural serão aceitas até 30 de setembro. Podem se candidatar trabalhadores que comprovem seu vínculo com a área da Cultura nos últimos 24 meses. Essa comprovação simplificada será aceita através de reportagem com registros fotográficos; carteira de trabalho profissional; declaração da entidade da classe do setor cultural legalmente constituída; ou declaração do dirigente ou gestor do Município.

Os selecionados receberão as bolsas no valor de R$3 mil em três parcelas, pagas ao término de cada módulo dos cursos de Qualificação Cultural, que serão oferecidos em formato de Ensino à Distância (EAD) pela UEPG.

Pellegrini reforçou que o programa não só promove a geração de renda entre os trabalhadores culturais, seriamente prejudicados financeiramente na pandemia, como viabiliza a atualização e capacitação para que estes também possam atuar em meio virtual. “Essa iniciativa do governo do Estado utiliza os recursos da Lei Aldir Blanc de maneira criativa, ampliando a qualificação profissional no universo on-line, tão necessário nessa retomada das atividades culturais. Mais do que repassar os recursos, com agilidade e de forma desburocratizada, essa ação do governo do Estado vai além, preparando os artistas para esse novo momento”, frisou.

O primeiro módulo será comum a todos os participantes, com carga horária de 40 horas, abordando as políticas públicas de incentivo e como participar de editais de fomento à cultura. Os módulos seguintes serão vinculados a cada área cultural, contemplando Artes Visuais; Audiovisual; Circo; Dança; Literatura, Livro e Leitura; Música; Ópera; Povos, Comunidades Tradicionais e Culturas Populares; Teatro; e Técnicos que atuam na cadeia produtiva da Cultura.

Além de transmissão das aulas virtuais, o conteúdo da Qualificação Cultural também será ofertado em material impresso, para auxiliar as pessoas que não tiverem acesso à internet. Para auxiliar os interessados nos processos de inscrição e participação do curso, serão divulgados em breve os Agentes Facilitadores de cada município.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.