Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Músico mistura as raízes da MPB em trabalho intimista

Envolto em música desde muito cedo, Pedro Santos gosta de contar histórias e registrar canções. Das experiências com a banda Cidadão Madureira, das rodas de violão e dos blocos de carnaval nasceram as primeiras composições. Suas ideias mais recentes estão em sussurrO, seu primeiro trabalho solo. O álbum tem seis faixas autorais que transitam pelas raízes da MPB, com influências do rock progressivo e características do blues. Usando um repertório de sua autoria como base, o músico também resgatou a canção “Dores de Amores”, de Luiz Melodia.

A produção musical é de Bruno Buarque, que participou como instrumentista e arregimentou as participações musicais que acompanham Pedro nas sete faixas. “Estou animado para que ouçam o novo trabalho. Acredito que as pessoas terão uma grata surpresa. Esse é um álbum com uma pegada singela e canções muito bonitas. Um cantar suave e uma interpretação marcante, cercada de arranjos que embelezam", ressalta Bruno.

 “Durante os meses de junho e julho estivemos em estúdio trabalhando nas canções. É um disco íntimo com muita verdade, feito a partir de composições e pesquisas sonoras que venho fazendo, sobre os discos e livros que me acompanham. Focamos em pouca instrumentação, algo minimal, e buscamos um som gigante de violão com espaço especial para a voz. É como se fosse música de câmara registrada com a textura de um VHS, tem ruído, um pouco de sujeira que dá profundidade e traz uma certa vida", afirma Pedro.

Em sussurrO, Pedro Santos foi acompanhado por grandes nomes da cena contemporânea. Os músicos Conrado Goys, Meno Del Picchia, Bruno Serroni e Maria Beraldo participam como convidados.

Pedro Santos

Pedro Medeiros Santos é um multi-instrumentista, arranjador e compositor paulistano. Tocou em bandas, rodas de violão e blocos carnavalescos em Brasília e São Paulo. É fundador-folião e diretor musical do Me Engole que eu Sou Jiló, bloco de amigos cineclubistas que marcou o carnaval das ruas de Brasília. Já em 2020, ao lado de Paulo Tó, lançou o álbum DOMiNGO, que recebeu críticas positivas da imprensa. A canção Beija Flor, a mais tocada do projeto (+ de 160 mil plays), anos antes ficou entre as finalistas do festival da rádio nacional de Brasília. Atualmente, é parte da harmonia do bloco paulistano Saia de Chita, com o qual se apresentou em casas de shows da cidade de São Paulo. Hoje, se dedica ao seu novo disco sussurrO.

Titita Dornelas/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.