Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

São ofertadas aulas de vários instrumentos musicais; atividades acontecem na plataforma do Google Meet

O Clube do Choro iniciou em julho uma série de atividades virtuais, por meio do projeto “Oficinas do Choro”, que consistem em aulas gratuitas de cavaco, violão, bandolim, clarinete e flauta. As inscrições permanecem abertas e quem tiver interesse de participar das atividades, pode se inscrever clicando aqui. As aulas acontecem todas as terças-feiras, das 19h às 21h, pela plataforma do Google Meet.

Segundo a coordenadora do projeto, Marina Bigardi, outros instrumentos musicais, como piano, violino, acordeon e outros de sopros, podem ser encaixados em uma das turmas. Os materiais pedagógicos, como as partituras, áudios, vídeos explicativos de como tocar a música e técnicas, são enviados antes das aulas para que o aluno possa ir estudando.

Não é necessário nenhum conhecimento prévio sobre o instrumento escolhido. Os professores são Osório Perez (violão), Guilherme Villela (cavaco e bandolim), André Mattos (sopro), André Coudeiro (percussão) e Marina Bigardi na produção e coordenação do projeto.

Para a coordenadora, essa experiência on-line tem sido desafiadora, porém gratificante. “Acho que esse novo momento coloca diversas barreiras e oportunidades. As barreiras são em termos de sociabilidade, já que fazer com que toda a parte pedagógica se instale nesse universo virtual não permite a mesma troca condizente com o que é realizado no presencial. No entanto, o retorno dos alunos tem sido muito positivo. Temos uma média de 70 alunos divididos em turmas”, destacou.

Bigardi disse ainda que o projeto e o choro de Londrina têm ganhado proporções para outros cantos do Brasil. “A extensão do projeto Oficina do Choro tomou proporção nacional e internacional. Temos alunos de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Pará e, também, de outros países, como Austrália. Tem sido um grande momento de intercâmbio, de pessoas que tocam o choro e apreciam o choro de outras cidades. Então, trazemos isso também para as nossas aulas”, completou.

O projeto

Tem como objetivo difundir o choro, desde a questão de ensino, fruição, repertório até ritmo. Durante as aulas, são abordados termos técnicos dos instrumentos, assim como a história do gênero musical, compositores e as influências que surgiram posteriormente. É uma realização do Clube do Choro, com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC).

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios