Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Cultura 10/12/2018  11h13

Concerto comemorativo

Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” faz concerto para festejar o aniversário de Londrina e os 20 anos do grupo

A VIII Mostra de Música de Câmara preparou um concerto especial para próxima sexta-feira (14), às 20h30, no Teatro Ouro Verde, para promover uma comemoração em dose dupla: os 20 anos da Orquestra de Câmara "Solistas de Londrina" e os 84 anos da cidade de Londrina.

O concerto comemorativo terá como solista convidado o aclamado pianista Cristian Budu, jovem que desponta como uma nova referência no mundo pianístico, aclamado pela crítica e vencedor de grandes concursos internacionais. A direção artística e a regência são do maestro Evgueni Ratchev.

No programa da noite, obras de grandes músicos: Händel (Passacaglia para cordas, em Sol menor), Mozart (Divertimento no 1 em Ré maior, K.136 e Concerto para Piano e Orquestra nº 9, KV 271 "JEUNEHOMME”), e B. Britten  (Simple Symphony).

Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Ouro Verde, Livraria da Silvia, Juntus Coworking ou através do site: www.sympla.com.br. Os clientes Unimed também pagam meia-entrada.

Lançamento de CD

Criada em 1998, a Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” está comemorando 20 anos e para celebrar a data o grupo promoveu em 2018 diversos concertos em vários locais da cidade como escolas, igrejas e teatros. Além disso, está lançando o CD Retratos Brasileiros, com obras de compositores paranaenses.

O CD reúne obras inéditas para cordas de três compositores paranaenses que representam a história musical no estado: Brasílio Itiberê, Bento Mossurunga e Rogério Krieger.   A gravação deste CD é um marco significativo para produção musical no Paraná, pois registra obras inéditas para cordas e presta uma homenagem aos compositores paranaenses.

São mil cópias que serão distribuídas no Estado do Paraná e no Brasil, principalmente em escolas de ensino público, bibliotecas e instituições culturais em geral. O trabalho foi realizado através do Patrocínio do Promic. A direção musical é do violinista e maestro Evgueni Ratchev.

As 100 primeiras pessoas que comprarem um par de ingressos para o concerto (somente na bilheteria do Teatro Ouro Verde), serão presenteadas com o CD Retratos Brasileiros - Compositores Paranaenses.

Vinte anos

Em duas décadas, a Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” promoveu inúmeras apresentações em festivais nacionais e internacionais, além de concertos memoráveis ao lado de artistas consagrados como Yamandú Costa, Daniel Guedes Marco Antonio Almeida, Fábio Zanon, Alex Klein, Quarteto de violões Quartenaglia, José Staneck, Antonio Del Claro, João Carlos Martins, Jairo Chaves, Evgenia–Maria Popova, Tânia Camargo Guarnieri e Alessandro Borgomanero, Casio Cruz, Violista Jairo Chaves, Duo Henosis Natanael Fonseca.

A VIII Mostra de Música de Câmara é organizada pela Artis Colégium Associação Cultural e tem o patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura, Cacique, BRDE, Unimed e John Deere. Conta com o apoio da Rádio CBN, Rádio UEL FM, Casa de Cultura da UEL e Livraria da Silvia. A coordenação geral é da pianista e produtora Irina Ratcheva.

Cristian Budu

Brasileiro filho de romenos, o jovem Cristian Budu desponta como uma nova referência no mundo pianístico. Venceu o renomado Concurso Internacional Clara Haskil (Grande Prêmio + 2 prêmios extras, incluindo o prêmio do público), conquista considerada pela crítica especializada como a mais importante por parte de um pianista brasileiro nos últimos 25 anos.

Recentemente, ganhou prêmios como Instrumentista do Ano (2017) da APCA, Melhor Concerto do Ano (2016) no Guia da Folha, e entrou para duas das mais prestigiadas listas do mundo, pela Gramophone, maior referência da crítica internacional: “Top 10 Recent Beethoven Recordings”, e "Top 10 Chopin Recordings”, que inclui nomes como Martha Argerich, Arthur Rubinstein, Maria João Pires, Dinu Lipatti e Murray Perahia.

Seu primeiro CD solo ganhou o "Editor's Choice" na Gramophone e "5-Diapasons" na Diapason. Gravou também o 1º Concerto de Tchaikovsky com a OJESP e Cláudio Cruz.

Convites futuros incluem duos com Renaud Capuçon e Antonio Meneses (abertura da temporada da Cultura Artística), concertos e gravação com a OSESP, além de recital solo no Verbier Festival.

Cristian já solou à frente da Orquestra Sinfônica de Lucerna, Orquestre de la Suisse Romande, Orquestra Sinfônica da Rádio de Stuttgart, NEC Philarmonic Orchestra, OSESP, Orquestra Filarmônica de Montevideo, OSB, Orquestra Filarmônica de Mendoza, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, entre tantas outras. Apresentou-se como solista em salas como KKL de Lucerna, Ateneu de Bucareste, LAC de Lugano, Liederhalle, Jordan Hall, Sala São Paulo. Já tocou e lecionou em festivais como “Les Grands Interprètes” de Genebra, “Klavierissimo” de Zurique, “Piano aux Jacobins” (França), Rockport Music Festival (EUA), Zermatt Festival (Suiça), Delft Chamber Music Festival (Holanda), Frankische Musiktage - série ‘Rising Stars’ (Alemanha), Festival Internacional de Piano de Monterrey (Mexico) e - diversas vezes - no Festival Internacional de Campos do Jordão.

Cristian cresceu em Diadema (SP). Foi aluno do Instituto Brincante, onde conheceu o multi-artista Antônio Nóbrega e com quem fez várias colaborações, incluindo um recital completo de música brasileira de concerto.

Em Boston, Cristian integrou um quarteto especializado em Chôro que venceu o Honors Competition do New England Conservatory. Ainda nos EUA, Cristian hospedou saraus e eventos especiais que inspiraram a criação do projeto Groupmuse, que ganhou a parceria da Boston Symphony Orchestra e se tornou uma das maiores plataformas inovadoras da música clássica. No Brasil, Cristian é criador do projeto de saraus Pianosofia (www.pianosofia.com), que tem apoios da Sociedade Cultura Artística e da Arone Pianos.

Orquestra

A Orquestra “Solistas de Londrina” é vencedora de diversos prêmios, que culminou com o lançamento de seu quinto CD, “Retratos Brasileiros”, dedicado ao compositor Edino Krleger, reunindo obras para cordas. O CD foi selecionado entre os três finalistas da 24ª Edição do Prêmio de Música Brasileira. Desde a sua criação, já realizou aproximadamente 300 concertos, percorreu mais de 40 cidades do Estado do Paraná, além de realizar concertos nas principais capitais do Brasil. Fez também uma turnê internacional e participou de inúmeros festivais de música no Brasil.

Gravou cinco CDs com obras de compositores brasileiros e recebeu o Prêmio Tim de Música, em 2003, na categoria Música Erudita. Foi finalista do maior Prêmio de Música no país, 24ª Edição do Prêmio de Música Brasileira, em 2013; conquistou o Prêmio Saul Trumpet, do Prêmio Talento Paraná; e diversos prêmios da Funarte, Governo do Estado do Paraná, SESI e Ministério da Cultura.

Evgueni Ratchev

Formado na Academia Superior de Música de Sófia, Evgueni Ratchev

veio a Londrina em uma jornada que já havia deixado marcas em várias outras cidades do mundo. Finalista do Concurso Internacional de Violino Johann Sebastian Bach, na Alemanha, também foi sala e solista de uma das mais importantes orquestras de câmara da Bulgária, a “Studio Concertante”. Como maestro convidado e solista, atuou em varias orquestras sinfônicas no Brasil e foi regente convidado da Garland Symphony Orchestra, New Symphony Orchestra of Arlington e Las Colinas Symphony Orchestra, no Texas. Desde 1996, Ratchev é spalla da OSUEL e cuida da direção musical da Orquestra de Câmara "Solistas de Londrina". Realiza anualmente máster classes de violino na University of Missouri-Columbia (EUA), onde também atua como solista e regente.

CD Retratos Brasileiros

A gravação deste CD é um marco significativo para produção musical no Paraná, registrando obras inéditas para cordas e homenageando três compositores paranaenses: Brasilio Itiberê, Bento Mossurunga e Rogério Krieger.        

A proposta foi idealizada quando a orquestra, através de convite da Fundação Cultural de Curitiba, desenvolveu um projeto com dois concertos somente com obras de compositores paranaenses, na Capela Santa Maria em Curitiba. Na ocasião executou estreias  mundiais das duas obras para cordas do compositor contemporâneo Rogério Krieger.

Nos últimos anos o espetáculo com obras paranaenses foi premiado duas vezes: pela Secretaria do Estado de Cultura através do concurso de Circulação de Espetáculos Música e pelo Circuito cultural SESI - PR. A orquestra realizou 30 concertos nas cidades do Estado do Paraná. O repertorio foi aplaudido e recebido sempre com grande interesse. Esta seria a única gravação, contemplando as obras para cordas destes compositores paranaenses.

O CD foi editado em 1000 (um mil) cópias  e prevê uma ampla distribuição no Brasil e no Estado do Paraná, principalmente nas escolas de ensino público e bibliotecas do Paraná e instituições culturais em geral.Este trabalho foi realizado através do Patrocinio do Promic.

Concerto para Piano

O Concerto para piano e orquestra nº 9 em Mi bemol maior, KV 271, pertence ao grupo dos “concertos de Salzburgo”, tendo sido composto nessa cidade em Janeiro de 1777. A sua denominação Jeunehomme deve-se a uma concertista francesa, Mademoiselle Jenomy, da qual pouco se sabe, a não ser que residiu em Salzburgo durante o Inverno de 1776. Para Mozart, já então asfixiado pelo provincianismo da pequena cidade alpina, o encontro com uma cosmopolita concertista representou um estímulo extraordinário, inspirando-o a compor uma das suas obras mais memoráveis. Neste concerto Mozart é totalmente ele próprio, não procurando agradar ao público, mas antes sim, conquistá-lo pela força da sua originalidade e da sua audácia.

O primeiro andamento – Allegro – começa logo com uma originalidade: o instrumento solista participa activamente na primeira frase, respondendo à fanfarra do tutti orquestral com uma declinação perfeita para a tónica. Solista e orquestra definem-se assim como duas forças de igual estatura, que irão engendrar um diálogo sereno e construtivo durante todo o resto do concerto. O Andantino que se segue, em Dó menor, é o primeiro grande exemplo de andamento lento “espiritual”, deslocando o centro de gravidade da música para um profundo universo interior, definindo um espaço de concentração religiosa; a cadência final do solista é original de Mozart e não conduz a uma entrada da orquestra, sendo sim concluída pelo piano – um magnífico golpe dramático, de impacto surpreendente e directo. Depois da tragédia, eis a comédia: o Final, Rondo: Presto – um andamento de constante virtuosismo, alegre e fantasioso. A meio Mozart introduz um inesperado Minuetto, em Lá bemol maior, criando um contraste de tempo, tonalidade e dinâmica. O concerto conclui-se com um pequeno motivo em colcheias, originário do tema principal, que se desvanecerá num longopianíssimo dos últimos compassos, antes dos dois últimos acordes finais, tocados em uníssono pelo piano e pela orquestra.

Vendas de ingressos

Teatro Ouro Verde – Rua Maranhão, 85 – (3322 6381); - Livraria da Silvia - Rua Goiás, 1774; - Juntus Coworking - (43) 3028 2888; - On line: www.sympla.com.br

As 100 primeiras pessoas que comprarem um par de ingressos para o concerto (somente na bilheteria do Teatro Ouro Verde), serão presenteadas com o CD Retratos Brasileiros - Compositores Paranaenses.

Solistas - Foto: Clarisse Assad/Divulgação

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios