Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

- Garçom! Por favor me traga essa porção de coraçãozinho de frango que está aqui do cardápio.

- Sim senhor. 

- Credo José Carlos! Você tem coragem de comer isso?

- Claro! Uma delícia. Foi por isso que viemos aqui.

- Não acredito. Me trouxe nesse barzinho só para comer coração de frango!

- Mas não é qualquer coração de frango. O tempero daqui é celestial.

- Me poupe José Carlos! Você sabe que eu não gosto desse tipo de comida e muito menos ambientes como este. 

- Esse é o melhor barzinho da cidade! Olha lá fora quanta gente querendo entrar e não tem lugar aqui dentro. Sorte que fiz reserva com antecedência.

- Tá. E você pede justamente coraçãozinho de frango como porção?

- Pede o que você quiser também. Tem uma moelinha que é supimpa...

- Pelo amor de Deus José Carlos! Você sabe que detesto isso.

- Se não gosta de frango, eles têm iscas de fígado de boi ou então rã frita...

- Arg! Vou embora José Carlos!

- Está bem. Pede o que quiser...

- Garçom! Me traz uma salada por favor.

- Ora Margareth, salada de alface a gente come em casa!

- Prefiro comer alface do que essas nojeiras que você come.

- E desde quando coração de frango é nojeira?

- Você já parou para pensar quantos frangos precisam morrer para que pessoas como você possa comer essas porções?

- Não vai me dizer que agora virou vegana?

- Taí. Uma ideia excelente! Vou me tornar uma vegana.

- Para com isso Margareth! Você adora um contrafilé acebolado que eu sei.

- Pois não como mais contrafilé. A partir de agora não como mais nada de origem animal.

- E sua bolsa e seus sapatos são feitos de couro de animal.

- Vou jogar fora e comprar tudo sintético.

- Você que sabe Margareth. Eu vou continuar comendo meus coraçõezinhos de frango queira você ou não.

O garçom traz as porções de coração de frango e a salada.

- Uma delícia esses coraçõezinhos. E sua salada?

- Você me paga José Carlos. Quase nunca saímos no final de semana e quando resolvemos sair me faz passar fome...

- Deixa de frescura e procura no cardápio alguma coisa que você queira comer Margareth!

- Garçom! Me traz uma porção de contrafilé acebolado.

- Ué? Você não acabou de virar vegana Margareth?

- Vou comer só as cebolas...

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.