Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma das atrações do 40º FIML é o curso “Bateria na Pandemia”, que será ministrado pelo professor Sergio Reze, nos dias 8, 9 e 10 de dezembro, destinado a estudantes e bateristas profissionais. Sergio Reze vai abordar uma temática vivenciada por todos os músicos nestes tempos de pandemia: o desafio de fazer arte em tempos de isolamento.

Sem poder fazer shows ao vivo, nem gravações, as turnês e apresentações foram canceladas, deixando a classe artística fragilizada. A saída para muitos profissionais foi migrar paras as plataformas digitais, porém, para apresentar um trabalho de qualidade é preciso criar as condições necessárias, como um bom home estúdio.

“Além de gravar é preciso ter condições para você se filmar”, explica o professor Sergio Reze. “O objetivo do curso de bateria deste ano é mostrar para os alunos como, da estaca zero, reunir condições para gravar em casa o seu trabalho, para entregar isso e colaborar com outros músicos de forma virtual. Isso se tornou vital para um músico hoje.”

Durante a oficina, Sergio Reze vai revelar quais as ferramentas necessárias para transformar um canto da casa em estúdio. “Vou mostrar do ponto zero como fazer, mostrando materiais e gravações, e com base nesse material desenvolver com eles, a partir da acústica da sala, como organizar o home estúdio. Como viabilizar acusticamente, como microfonar a bateria, afinação, preparar o instrumento para gravar, como gravar, recursos de gravação, tudo será abordado até o produto final. O curso será relacionado justamente como permanecer e sobreviver mantendo a nossa arte viva.”

Jazz e MPB

Outro curso que será ministrado pelo baterista e percussionista Sérgio Reze, junto com os professores André Siqueira, Gabriel Zara, Josué dos Santos e Mateus Gonsales, é o “Jazz e MPB”, nos dias 7 e 11 de dezembro.

“O curso de bateria terá uma conexão com a prática de conjunto de MPB e Jazz. Já estamos preparando gravações virtualmente, filmando, e vamos disponibilizar para os alunos para que eles possam assistir como a gente fez. Estamos preparando versões tirando a bateria ou o baixo, ou o piano, ou a guitarra, ou o saxofone. O aluno pode usar a versão sem o instrumento que ele toca, para tocar e gravar com o conjunto.”

Limitados pela pandemia e sem poder reunir alunos e professores numa mesma sala como nos anos anteriores, a prática de conjunto se tornou um grande obstáculo. “Nada melhor do que estarmos todos em uma sala, trocando energia, tocando e ouvindo o som do instrumento do outro. Por causa da pandemia, a prática presencial ficou inviável. O vídeo será o material principal da prática”, conclui Sergio Reze.

As inscrições para estes e outros cursos do FIML foram prorrogadas até o dia 03 (quinta-feira). Ainda há vagas disponíveis. Confira os cursos no link: https://fiml.art.br/programacao-cursos/

O Festival Internacional de Música de Londrina tem a direção pedagógica de Magali Kleber, direção artística do pianista Marco Antonio de Almeida e direção executiva do pres. da Assoc. de Amigos do FIML, Marcelo Camargo. É uma realização da Secretaria de Estado da Cultura - Governo do Estado do Paraná // Secretaria Municipal da Cultura - Prefeitura do Município de Londrina-Promic // Casa de Cultura - Universidade Estadual de Londrina e Associação de Amigos do FIML Patrocínio: Promic e Unimed Londrina. Apoio Cultural: Associação Médica de Londrina

Andréa Monclar/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.