Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Prestes a lançar um novo EP, o músico londrinense David Mour traz ao público uma amostra da obra que está por vir. Nesta sexta-feira (30) ele participa do projeto Vozes da Cidade, organizado pelo Sesi Londrina e pela jornalista Karen Debértolis.

O show será no Centro Cultural SESI/AML às 19h30 e vai ter entrada solidária, mediante a entrega de 1 kg de alimento.

O público poderá conferir, em primeira mão, algumas das novas canções do projeto que Mour vem gravando no estúdio Toque Grave. O lançamento oficial do primeiro single está previsto para dezembro.

Com influências que passam pelo pop, folk e MPB, o londrinense tem em sua música os ingredientes necessários para se destacar na cena cultural. Além da criatividade e letras inspiradoras, ele traz a bagagem técnica de quem é formado em música pela UEL. O resultado é um trabalho que presa pela qualidade e precisão em cada nota e arranjo.

E para botar tudo isso em prática, David Mour costuma contar com um time grande e repleto de talentos de Londrina. Para o show do dia 30, por exemplo, o palco do Sesi vai ficar cheio de grandes músicos. Mour, que canta e toca violão, se apresenta acompanhado de Lucas Furtoso (guitarra), Alessandro Franco (baixo), Renan Gaino (bateria), Amanda Possette (teclado e synths), Victória Mattos (backing vocals), Thayse Guimarães (backing vocals), Jonas Aguiar (trompete) e Vítor Malta (saxofone alto).

David Mour

Com 23 anos de idade, David Mour é músico graduado pela Universidade Estadual de Londrina e divide o tempo entre a atuação como professor de música e a carreira musical.

Compositor, arranjador e letrista, Mour começou a criar as primeiras canções quando ainda tinha 14 anos.

No ano passado lançou o primeiro disco. “Estrangeiro” traz 10 músicas, todas de sua autoria. O álbum foi gravado e produzido por Eduardo Benvenhu. O trabalho pode ser conferido aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=I-4lZndkvt0&list=PLd95pX5s0Q966-gLWy--5CJJPAlQtqPbP

Com “Estrangeiro”, David Mour recebeu, no início de 2018, uma menção honrosa do prêmio Embrulhador. Para ter uma ideia da importância dessa menção, nomes célebres, como Hermeto Paschoal, João Bosco e Criolo também receberam a honraria. Outro grupo, ainda mais seleto, entrou para a lista dos 100 melhores discos, feita anualmente pelo Embrulhador.

Em setembro deste ano ele conquistou o primeiro lugar no Festival de Música de Apucarana, com a música “Fim de Tarde”.

O músico também tem um pé no cinema e fez várias participações como compositor de trilhas sonoras para curtas metragens e uma web série, que será lançada em breve.

Atualmente trabalha na gravação de um novo EP e está muito bem acompanhado do produtor musical Marco Aurélio, que recentemente participou da maior convenção de áudio profissional, organizada pela Audio Engineering Society, em Nova Iorque (EUA).

O trabalho representa uma nova fase na carreira de Mour.  “É um amadurecimento para mim, porque no primeiro disco eu gravei composições que fiz dos 17 aos 21 anos. A músicas novas são mais recentes, de dois anos pra cá”, afirma o músico.

João Fortes/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios