Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O prédio do Cadeião é uma edificação histórica para a cidade de Londrina e marcou de maneira triste um passado que não se pode esquecer. O Cadeião permaneceu como a única unidade prisional pública de Londrina até 1994, quando foi desativado - ano que também teve a sua tentativa de demolição fracassada.

O local abrigou muitas tristezas e rebeliões. Durante seu funcionamento, havia um único momento em que a tristeza não imperava, o dia de visita. Neste dia, familiares saudosos faziam filas em torno do quarteirão do Cadeião para aguardar sua entrada e até a visita de crianças era permitida. Nessas poucas horas, pais reencontravam filhos, filhos os pais, esposas os maridos e o cumprir da pena ficava menos doloroso para todos. Os familiares se misturavam aos detentos e um clima de festa tomava conta do ambiente, deixando com que todos, por alguns momentos pudessem esquecer as amarguras, a violência e a solidão do isolamento.

Em 2014 o prédio foi revitalizado e tornou-se um Centro Cultural com novas atividades e várias opções para a população londrinense. O intuito é que agora o Dia de Visita seja um dia de festa para toda a família no Sesc Cadeião Cultural, deixando definitivamente para trás qualquer resquício de tristeza!

A programação contará com apresentações teatrais e musicais, contação de histórias para as crianças, atividades lúdicas como oficinas de criatividade, sessões de cinema, troca de livros, performances artísticas, entre outras atrações.

Uma vez por mês, de março a dezembro, sempre aos sábados, das 10h às 17h:

09/05; 13/06; 11/07; 08/08; 12/09; 10/10; 14/11 e 12/12.

Programação de maio (09/05)

- das 10h às 12h e das 14h às 17h: Oficina de Colagem.

A oficina será baseada nas obras da artista Angela Diana que está exposta na Galeria de Artes do Sesc Cadeião Cultural, utilizando como influências suas cores e desenhos.

- 11h: Apresentação Teatral, Espetáculo Bagaça Registrada.

Lambreta e Ritalino apresentam números tradicionais e criações próprias com algo em comum. No fim das contas, os palhaços fazem suas estripulias de um jeito bem brasileiro.

- 12h: Contação de histórias com Dani Fiorucci

A partir das historias Maria Angula, Dum Dum Sererê e brincadeiras da cultura popular brasileira, Historias de Quase dar Medo leva também coragem e propõe um jogo de faz de conta que permite à plateia sentir o medo de modo seguro e mostra que, sim, os medos existem e vamos atravessá-los juntos.

- 13h: CineSesc, exibição do filme Zarafa.

(Dir. Rémi Bezançon e Jean-Christophe Lie - 78 minutos - livre)

Sob uma antiga árvore, um velho conta às crianças de sua aldeia uma fábula: a de uma forte amizade entre um menino, Maki, e uma girafa órfã chamada Zarafa. Juntos eles viverão a aventura de suas vidas, viajando das areias do Sudão até as luzes de Paris.

- 14h: Contação de histórias com Dani Fiorucci.

A partir das histórias Maria Angula, Dum Dum Sererê e brincadeiras da cultura popular brasileira, Histórias de Quase dar Medo leva também coragem e propõe um jogo de faz de conta que permite à plateia sentir o medo de modo seguro e mostra que, sim, os medos existem e vamos atravessá-los juntos.

- 15h: Apresentação Musical, grupo Pisada da Jurema.

O grupo Pisada da Jurema realiza um trabalho de releitura de ritmos populares brasileiros com foco nos estados de Pernambuco, Maranhão, Paraíba, Bahia e região sudeste. O repertório conta com músicas da tradição oral, como o coco, cacuriá, jongo, e ritmos da religião de matriz africana, como afoxé e maracatu. A partir dessas referências também trazem composições próprias.

- 16h: CineSesc, exibição do filme Narradores de Javé.

(Dir. Eliane Caffé - 110 min. - livre)

A pequena cidade de Javé será submersa pelas águas de uma represa. Seus moradores não serão indenizados e não foram sequer notificados porque não possuem registros nem documentos das terras. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um patrimônio histórico de valor comprovado em "documento científico". Decidem então escrever a história da cidade.

- das 10h às 17h (durante todo o evento):

* Projeto Leia & Troque: O projeto Leia & Troque contempla a troca de livros e gibis usados e também alia a socialização do livro com responsabilidade ambiental. O projeto incentiva e conscientiza as pessoas para que após lerem um livro, não o mantenham guardado, mas o disponibilizem ou troquem com outras pessoas para que de uma forma coletiva todos tenham acesso à leitura. Essa ação de solidariedade e cooperação de livros faz com que muitos após a leitura doem seus livros para fazer parte do projeto independente de querer ou não realizar a troca.

* Performance artística em pernas-de-pau com o CLAC durante o evento.O CLAC é um grupo especializado em performances artísticas utilizando técnicas circenses como: palhaço, acrobacias, monociclo e perna-de-pau e estará convidando o público a participar do evento durante todo o dia.

Nádia Val/Asimp/Sesc Cadeião Cultural

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios